Nuno Álvares de MIRANDA
né en 1924

Bibliographie


Nuno Alvares Miranda (ou de Miranda) est né le 23 octobre 1924 à Mindelo.
Licencié en Lettres à l'Université de Lisbonne, en philosophie et histoire, il vit d'abord au Cap Vert, puis s'installe au Portugal.
​On sait très peu de chose sur sa vie.
​Une étude de fond reste à faire!

haut

Oeuvres littéraires


Nuno Álvares Miranda est avant tout un poète et un essaiste qui s'attache à la culture et plus encore à la littérature capverdienne.
Il fait ses premières armes à travers la revue Certeza, en 1944-1945, dont il est co-fondateur et dont il suit les concepts initiaux avant de s'en détacher pour créer un style poétique propre, développé essentiellement au Portugal. Il collabore également de façon active à Claridade, dont il est un des rédacteurs.
Il signe ses textes de plusieurs manières de Nuno Miranda à Nuno Alvares de Miranda, en passant par Nuno de Miranda.
Fait étrange, il semblerait que Manuel Ferreira l'ait supprimé de la troisième édition (1988) de sa célèbre anthologie, No reino de Caliban, sans que l'on n'en connaisse les raison.
Il reçoit à deux reprises, en 1961 et en 1964, le Prix Camilo Pessanha de poésie.

haut

ESCRITÓRIO

Aqui, é o rame-rame do numerário certo
meticuloso e cuidado,
do numerário
medido com precisão
na máquina de calcular.

Aqui, é o rame-rame dos balancetes intermináveis,
dos balancetes jogando certo-
tostões novinhos em folha,
tostões batidos e velhos,
correndo, correndo, correndo.

Aqui, é a poesia do movimento diário
nos livros bafientos
que o guarda-livro macilento
cobriu de letra arredondata.

... e o soneto do empregado do escritório
- em que os olhos da menina
eram claros de lua,
em que os lábios da menina
eram rosas desfolhando,
cabelos soltos ao vento - 
o soneto morreu
em uma tarde qualquer,
no fundo escuro da secretária.

Claridade, n° 4 (1947), p. 38

*****

NOCTIVAGO

Nem uma estrela que fosse,
nem um latido distante,
ou um vulto de retardatário
que, porventura, ficasse...

Nesta noite
de ruas mortas, alinhadas,
nesta noite não passa
sequer,
um só rumor de vida.
: tudo quieto
(como se a vida parasse!...)
tudo fechado num silêncio calculado
que me causa desespero.

(... e tu, também,
talvez estejas insensível
esta noite,
fria e fechada num silêncio amargo...)


Claridade, n° 5 (1947), p. 31

haut

ILHAS

Dez ilhas. Dez...
E o mar a namorar-lhes as praias
que não sõ
San Sebastian, Carlton ou Palm-Beach.
Tantas
quantos
os desos compridos das mãos.
Dez ilhas. Dez...
De praias lambidas pelo sol sensual.
Dez ilhas...
Dez mandamentos...
Atentas vigias no mar....

Certeza, n° 1 (1944), p. 1


*****


POEMA


Enquanto há gritos lancinantes
Pela noite silenciosa,
Enquanto os homens vagabundos
Fitam estrelas que a madrugada esculpia,
Eu vou dizer um canto simples e comunicativo
Que ressoe nos ventos,
Como música de vozes de meninos a sonhar.

Enquanto há sonhos cavalgando núvens,
Enquanto longe os homens se degladiam,
Eu vou dizer num canto
Que suba os ares e atravesse os mundos,
Que cruze nos mares mais distantes
E entre nos corações dos homens.

Enquanto os ódios gelam as almas
Eu vou dizer um canto com contornos de paz
E relevos de esperança:
Um canto que seja uma bandeira aberta
Que os ventos soltaram
No abraço do mundo.

Certeza, n° 2 (1944), p. 5

Bibliographie


Oeuvres

  • Caís de pedra, Praia: ICLD, 1989, 313 p., 21 cm. (coll. Ficção)
  • 40 poemas escolhidos, Lisboa: Agência geral do Ultramar, 1974, 101 p. (coll. Unidade)
  • Caminho longe: romance, Lisboa: Livraria Portugal, 1973, 173 p., 21 cm.; réédition: 1989
  • Nós, os Áfricanos, e a arte vista pelos europeus, Lisboa: s.n., 1973, 9 p.: conferência proferida na sede da Sociedade de língua portuguesa em 12/10/1972
  • Epiderme em alguns textos, Lisboa: Panorama, 1966, 120 p., 20 cm. (coll. Panorama)
  • Sobre instituições tradicionais ultramarinas, Coimbre: s.n., 1965, 8 p., 25 cm. (sep. Actas do V Colóquio intern. de estudos luso-brasileiros, n° 1)
  • Cancioneiro da ilha, Braga: Editora Pax, 1964, 47 p., 21 cm. (coll. Metrópole e Ultramar, n° 1)
  • Compreensão de Cabo Verde, Lisboa: Junta de investigação do Ultramar, 1963, 80 p., 22 cm.
  • Gente da ilha: contos, Lisboa: Agência geral do Ultramar, 1961, 91 p., 22 cm. (coll. Unidade)
  • Caís de ver partir, Lisboa: Orion, 1960, 57 p., 19 cm.

Périodiques

  • "Depoimento numa hora amarga (em memória de Arnaldo França)", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXIV, n° 132-133 (11-12/2015), p. 15
  • "Caís de pedra", Voz di povo, ano XIII, n° 836 (1989), supl. p. 3
  • "Um conceito de literatura cabo-verdiana independente", Estudos portugueses e africanos", n° 12 (1988), p. 65-68
  • "O pilão: um instrumento de cultura material dos Caboverdianos / Bibliografia geral", Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano II, n° 6 (02/1987), p. 26-28
  • Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano I, n° 3 (1986):
  1. "Da especificidade da poesia", p. 9-12
  2. "África: o ferro e o fogo das zangas", p. 18
  3. "Na morte de Martinho Nobre de Melo", p. 28
  • "Lixeira na Amadora", Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano I, n° 2 (10/1985), p. 11
  • "Cronologia histórica", História, n° 81 (1985), p. 19-21
  • "Lembrança de Jorge Barbosa", Presença crioula: boletim cultural e informativo de Cabo Verde  (Lisboa), ano I, n° 7 (07/1973), p. 3
  • "Literatura portuguesa ultramarina", A bem da língua portuguesa: boletim da Sociedade de língua portuguesa, n° 21 (05-06/1973), p. 105-108
  • "Alma dos lugares", Permanência: revista mensal de actualidades ultramarinas, ano II, n° 15 (08/1971), p. 5
  • "Lembrança de Jorge Barbosa: um poeta que desaparece", Cartaz, n° 36 (02-03/1971), p. 22
  • "As artes plásticas e o Ultramar português", Permanência: revista mensal de actualidades ultramarinas, ano I, n° 9 (02/1971), p. 27
  • Panorama, série IV, n° 39 (1971):
  1. "Para uma interpretação psicológica: exposição de Margarida Tamegão", p. n/a
  2. "Em Cabo Verde: tempo ilhéu", p. 25-29
  • "Variações de linguagem no espaço nacional", Permanência: revista mensal de actualidades ultramarinas, ano I, n° 6 (10/1970), p. 21
  • "Fichas de autores ultramarinos", Boletim geral do Ultramar, ano XLIII, n° 502 (1967), p. 73-80
  • N.d.M / Mário António, "Fichas de autores ultramarinos", Boletim geral do Ultramar, ano XLIII, n° 501 (03/1967), p. 67-74
  • "Fichas de autores ultramarinos", Boletim geral do Ultramar, ano XLIII, n° 499-500 (01-02/1967), p. 109-116
  • "No mundo negro, palavra, como um modo de descoberta", Boletim geral do Ultramar, ano XLII, n° 489 (03/1966), p. 79-87
  • "Turismo e Ultramar", Panorama, n° 17 (1966), p. 36-39
  • "Variações acerca da linguagem", Boletim geral do Ultramar, ano XLI, n° 478 (04/1965), p. 39-44
  • (FR?) "Objects et mondes", Panorama, série IV, n° 12 (1964), p. 33
  • Cabo Verde: boletim documental e de cultura, ano XV, nova fase, n° 13-15 / "169-171 (10-12/1963):
  1. "Sobre relações inter-raciais no Ultramar", p. 1-3
  2. "Gente de quem se fala: Agustina Bessa Luis", p. 30-32
  3. "Sobre os motivos de criação popular", p. 70-72
  • "Não somos menos de Portugal ao sermos, cada vez mais, de cultura cabo-verdiana: entrevistas do Diário popular  com intelectuais cabo-verdianos", Cabo Verde: boletim documental e de cultura, ano XIV, n° 10-12 / 166-168 (07-09/1963), p. 4-6
  • "Correlações dinâmico-culturais em Cabo Verde", Cabo Verde: boletim documental e de cultura, ano XIV, n° 7 / 163 (03/1963), p. 1-5
  • "Arte africana no S.N.I.", Cabo Verde: boletim documental e de cultura, ano XIV, nova fase, n° 6 / 162 (03/1963), p. 24-26
  • Cabo Verde: boletim documental e de cultura, ano XIV, nova fase, n° 4 / 160 (01/1963):
  1. "Acerca do estatuto para Cabo Verde", p. 1-3
  2. "Acomodações de linguagem", p. 35-36
  • "Motivações cabo-verdianas", Panorama, série IV, n° 7 (1963), p. 18-19
  • "A verdade do nosso encontro", Cabo Verde: boletim documental e de cultura, ano XIV, nova fase, n° 2 / 158 (11/1962), p. 1-2
  • "Cabo Verde: encruzilhada de dois mundos", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XIII, n° 154 (07/1962), p. 1-3
  • "O chá", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XIII, n° 153 (06/1962), p. 27-29
  • "O calcanhar dos inimigos", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XIII, n° 151 (04/1962), p. 1-3
  • "Aspectos de aculturação em Cabo Verde", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XIII, n° 148 (01/1962), p. 34-36
  • "Coragem de Mamãi", Panorama, série IV, n° 3 (1962), p. n/a
  • "Defesa de Portugal", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XIII, n° 147 (12/1961), p. 6-8
  • "Literatura e insularidade", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XIII, n° 145 (10/1961), p. 1-4
  • "Na morte de Hemingway", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XII, n° 143 (08/1961), p. 33-34
  • "Presença de Portugal em Cabo Verde", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XII, n° 141 (06/1961), p. 1-2
  • "A propósito da hospitalidade cabo-verdiana", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XII, n° 138 (03/1961), p. 18-19
  • Garcia de Orta: revista da Junta das missões geográficas e de investigações do Ultramar  ​(Lisboa), ano IX, n° 1 (1961):
  1. "Acerca de documentação: como factor de progresso nos estudos respeitantes ao Ultramar", p. 31-36
  2. "A propósito da situação sócio-cultural de Cabo Verde", p. 95-98
  3. "Presença de Cabo Verde na literatura portuguesa e estrageira", p. 139-153
  4. "Cantigas de Ana Procópio", p. 155-159
  5. "Crepuscular", p. 165
  • "Nota para o natal de Cabo Verde", Panorama, série III, n° 24 (1961), p. n/a
  • "Duas notas: lagostas de Cabo Verde: preocupações de um estudante de geografia humana", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XI,n° 135 (12/1960), p. 28-30
  • "Monografias municipais", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XI, n° 132 (09/1960), p. 15-17
  • "A propósito do pilão", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XI, n° 130 (07/1960), p. 15-16
  • "Sobre educação e desenvolvimento em Cabo Verde", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XI, n° 127 (04/1960), p. 9-10
  • "Considerações sobre prémios de literatura para o Ultramar português", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XI, n° 126 (03/1960), p. 9-10
  • "Para uma política cultural no Ultramar", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XI, n° 125 (02/1960), p. 3-4
  • "Preocupações de um telespecador: a T.V. e o Ultramar", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano X, n° 121 (10/1959), p. 4-6
  • "O grande encontro de Portugueses de todo o mundo em Cabo Verde", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano X, n° 119 (08/1959), p. 2
  • Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano X, n° 113 (02/1959):
  1. "Colóquios cabo-verdianos em Lisboa", p. 26-28
  2. "Caís de ver partir", p. 33
  • "O Cabo-Verdiano, um portador de cultura: sugestões de educação e ensino em Cabo Verde", Colóquios cabo-verdianos: estudos de ciências políticas e sociais  (Lisboa), vol. 22 (1959),  p. 81-84/95?
  • "Integração ecuménica em Cabo Verde", Estudos ultramarinos: literatura e arte, n° 3 (1959), p. 89-92
  • "Recado", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano IX, n° 101 (1958), p. 15
  • "Ideias, figuras e factos", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano VIII, n° 94 (1957), p. 7-8
  • "Ideias, figuras e factos: a propósito do ensino primário", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano VIII, n° 92 (05/1957), p. 11
  • "Ideias, figuras e factos", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano VIII, n° 90 (05/1957), p. 15-17
  • "Ideias, figuras e factos", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano VII, n° 85 (1956), p. 14-16
  • "Ideias, figuras e factos", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano VII, n° 76 (1956), p. 27-29
  • "Poema", Sul  (Florianópolis), n° n/a (1954), p. n/a
  • "Cartão postal de Lisboa", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano V, n° 62 (1954), p. 2
  • Claridade: revista de arte e letras, n° 5 (09/1947):
  1. "Noctívago", p. 31
  2. "Nocturno", p. 44
  • "Escritório", Claridade: revista de arte e letras, n° 4 (01/1947), p. 38
  • Certeza: fôlha da academia, n° 2 (06/1944):
  1.  "Da condição do estudante caboverdeano II (avril 1944)", p. 4
  2.  "Poema"  (poesia), p. 5
  • Certeza: fôlha da academia, n° 1 (03/1944):
  1. "Ilhas" (poesia), p. 1
  2. "Da condição do estudante caboverdeano", p. 3

Recueils collectifs - Anthologies - Autres

  • "Chuva", in Salvato Trigo (ed.), Matrilíngua: antologia de autores de língua portuguesa, vol. II, Viana do Castelo: Câmara municipal de Viana do Castelo, 1997, p. 224
  • Lúcia Cechin (ed.), Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe: poesia e conto, Porto Alegre (Brasil): UFRGS, 1986:
  1. "Noite longa", p. 59
  2. "Morna", p. 60
  • Manuel Ferreira (ed.), No reino de Caliban: antologia panorãmica da poesia africana de expressão portuguesa  (vol. I: Cabo Verde / Guinée-Bissau), Lisboa: Seara Nova, 1975; ATTENTION: Miranda ne figure pas dans la 3e ed. (1988):
  1. "Revelação", p. 147
  2. "Noite longa", p. 148
  3. "Marinheiro", p. 148-149
  4. "Promessa de vida", p. 149
  5. "Morna", p. 150
  6. "Canção de embalo", p. 150-151
  7. "Chuva", p. 151-152
  8. "A minha nave na ideia", p. 152
  • "Cabo Verde", in Fernando de Castro Pires de Lima (ed.), A arte popular em Portugal: ilhas adjacentes e Ultramar, Lisboa: Editorial Verbo, 1968, vol. 1, p. 319-379
  • "Domingo de chuva", in Luís Forjaz Trigueiros (ed.), Cabo Verde, Guiné, S. Tomé e Príncipe, Macau e Timor: o Ultramar português, Lisboa: Livraria Bertrand, 1963, p. 74-76
  • Jaime de Figueiredo (ed.), Modernos poetas cabo-verdianos: antologia, Praia: Edições Henriquinas Achamento de Cabo Verde, 1961:
  1. "Nocturno", p. 104
  2. "Poema", p. 105
  3. "Miradouro", p. 106-107
  • "O Cabo-Verdiano, um portador de cultura. Sugestões de correcção de educação e ensino em Cabo Verde",  in Jorge Dias (ed.), Colóquios cabo-verdianos, Lisboa: Junta de investigação do Ultramar, 1959, p. 81-95 (coll. Estudos de ciências política e sociais, n° 22)
  • "Poema", in José Osório de Oliveira, Poesia de Cabo Verde, Lisboa: Agência geral das colónias / Editorial Ática, 1944, p. 45

haut

Etudes critiques


  • António Monteiro, "Nuno de Miranda: em cada uma das páginas da revista Claridade  se expunha viva a caminhada para o futuro, na busca empreendedora da existência de Cabo Verde nos dias de hoje como nação (entrevista)", Expresso das ilhas, n° 780 (12/11/2016), p. n/a  (web)
  • Maria Felisa Rodriguez Prado, "Cabo Verde e o Cais de pedra  ou a obra de Nuno de Miranda", in Anne Quataert / Maria Fernanda Afonsa, La lusophonie: voies / voix océaniques, Lisboa: Lidel - Edições Técnicas, 2000, p. 266-275
  • João Lopes Filho, "Conversando com Nuno de Miranda (entrevista)", Ponto e vírgula: revista de intercâmbio cultural, n° 15 (10-12/1985), p. 21-27
  • Paulo Saraiva, "Introdução à poesia de Nuno Miranda", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, vol. XI, n° 129 (06/1960), p. 16-17

Caminho...

(1973)

Cais de pedra

(1989)