Carlos ARAUJO
né en 1950

Biographie


Carlos Manuel de Melo Araújo ou plus couramment Carlos Araujo est né le 30 avril 1950, dans la vallée de Paúl, sur l'île de Santo Antão. Marié, il est père de famille.
Diplômé en électronique à l'Instituto superior téchnico de Lisbonne, il devient par la suite professeur, technicien, gestionnaire et s'adonne dans le même temps  à l'écriture et à la politique locale.

haut

Oeuvres littéraires


Carlos Araújo est l'auteur de près d'une dizaine d'ouvrages, aussi bien roman que théâtre ou poésie, et publie des articles dans les journaux capverdiens tel A semana  ou A nação...
En 1999, il obtient le Grand Prix SONANGOL de littérature pour son roman Na corda bamba.
Il fonde par ailleurs les éditions Calabedotch, à Mindelo.
Malgré ce parcours littéraire bien rempli, aucune étude partielle ou générale n'a été trouvée à ce jour, recherche d'autant plus difficile qu'il a un homonyme brésilien célèbre.

haut

Structure de Contos do Arco-da-Velha  (1997)

  • "Prefácio", p. 7-9
  • "Horóis esquecidos", p. 11-16
  • "Por Deus vai-te embora", p. 17-31
  • "O outro lado da consciência", p. 33-38
  • "O cavalo", p. 39-41
  • "A utilidade da arte", p. 43-46
  • "O monstro de Fontaínhas", p. 47
  • "Maica", p. 49-52
  • "André Coxo", p. 53-55
  • "O Presidente (88)" p. 57-58
  • "Em legítima defesa (95)", p. 59-61
  • "As cuecas da Ivete", p. 63-64
  • "Contos de desengano", p. 65-68
  • "Sena ou conto", p. 69-74
  • "Só Sena", p. 75
  • "Pit na baía", p. 77-78
  • "Escervendo na areia", p. 79-80
  • "Nesse meu país", p. 81-82
  • "Noão mates a Cotovia", p. 83-85
  • ""O heroí das ilhas", p. 87-89"
  • "A lenda de monte Marck", p. 91-93
  • "A luz da colina", p. 95-96


SEREI COMO O VENTO

10 - As prisões

Há! Como me amarra esse fiozinho
Esse medo do vizinho
Mãe, uma igreja, um conselho,
Sei lá
Nação, estado governo
essa vontade de ir por ai com o vento

Mas não
O vento passa e não me leva
Talvez leve o meu alento
E fico por aí parado num recanto de bar
Um pintor que pinta
Um poeta triste
Um político de trampa
E eu que um dia serei vento
ponto luminoso por aí
Percorreri contigo vales e montanhas
Levar-te-ei a Somada de Cruz-João-Evora
lá onde o vento sopra e passa
sem terra, poiera ou pó
Só um som fino de quem parte
antes mesmo de ter chegado.

in Francisco Fontes (ed.), Destino de Bai..., 2008 , p. 38




UMA SAÍDA POSSÍVEL

Manim passara a vida procurando uma saída para a economia do arquipélago. A pesar do país não ter qualquer tipo de riqueza no seu subsolo, de não chover e de se encontrar no meio do mar, ele não aceitava os discurso que começavam por salientar a pobreza das ilhas. Talvez por isso, ou mesmo por mero exercício, já tivesse escrito alguns ensaios sobre o assunto, sem nunca, no entanto, ter tido qualquer tipo de retorno, o que o levou a deixar de lado a política e qualcher validade de encontrar uma solução para o país. Agora ele preferia filosofar, ciente de que num local onde as pessoas andam felizes e brincando com a vida, a pobreza não tem lugar. E era assim o seu Mindelo, ilha onde os habitantes conseguiam encontrar humor no seio das piores calamidades.
É claro que a ilha era habitada também pelos chatos, pelos delinquentes, pelos sacanas, que tem um governo, etc., etc. mas, que também tem coisas boas como em todo o lado, destacando sobretudo a polpa das mulheres e uma espécie de paz e de amor que paira no ar, mesmo nos dias quentes de Verão ou na poiera que o vento carrega.
O que nos faz continuar nesta ilha é o humor, pensava Manim quando dele se aproximou um candidato a político concordanda com ele em tudo o que tinha dito e não dito, escrito e por escrever e lamentando-se da retirada precoce deste da política quando ainda tinha muito para dar.
- Lamento lhe informar amigo mas eu retirei-me com retroactivos.
- Mas...
- Não há mas nem mari mas, eu agora só falo de futebol e da vida dos outros.
O candidato ficou um pouco chocado mas ainda com capacidade de perguntar:
- Então já não participará mais na procura de solução para a nossa terra?
- De maneira nenhuma. Para quê procurar se a solução já foi encontrada]
- Já?! E qual é.
- É só declarar a guerra aos EUA que eles nos anexarão e seremos mais uma estrela.
O candidato ficou com uma cara de parvo, entre o chocado e o desiludido, engoliu em seco e timidamente perguntou:
- E se ganharmos a guerra?

in Francisco Fontes (ed.), Tchuba na desert..., 2006, p. 48-49

haut

Bibliographie


Oeuvres

  • SOLRAC no Planeta Terra, Mindelo: Edições Calabedotche e autor, 2015, n/a p. 
  • A canção da ilha  (poesia), 2015, n/a p.
  • A canção da ilha  carlo(teatro), 2014, n/a p.
  • A maldição de Ezeulu, Mindelo: Edições Calabedotche, 2002, 194 p.
  • Vendaval, Mindelo: Edições Calabedotche e autor, 2000, n/a p.
  • Na corda bamba, Luanda: Ponto Um, 1999, n/a p.: Grande Premio SONANGOL da Literatura 1999
  • Doze per dez, Mindelo: Edições Calabedotche e autor, 1998, 70 p.
  • Contos do Arco-da-Velha, Mindelo: Edições Calabedotche e autor, 1997, 96 p.
  • Para o desenvolvimento de S. Vicente: um ponto de vista, Praia: Fundação Frederich Ebert, 1995, 39 p.
  • Percurso vulgar: romance, Mindelo: Ilhéu editora, 1990, 315 p.  (coll. Estórias)

Périodiques

  • "Autonomia e património: a ignorância grassa e desgraça a ilha de São Vicente", A nação: jornal independente, ano X, n° 534 (23/11/2017), p. E6  (web)
  • "Autonomia", A nação, 08/10/2017, en ligne  (web)
  • "Autonomia: uma pequena explicação", A nação, 03/09/2017, en ligne  (web)
  • "Autonomia: uma pequena explicação", A nação: jornal independente, n° 521 (24/08/2017), p. A13
  • "Autonomia: uma pequena análise da manifestação de 5 de Julho", A nação, 30/07/2017, en ligne  (web)
  • "Autonomia e regionalização", A nação, 14/05/2017, en ligne  (web)
  • "Autonomia e regionalização", A nação, 23/04/2017, en ligne  (web)
  • "Aeroporto para Santo Antão: verdade ou brincadeira?", A nação, 16/03/2017, en ligne  (web)
  • "Diálogo entre a alma e o corpo de um ser humano", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXIV, n° 134-135 (01/2016), p. 24
  • "Falar de Renato é falar de uma nuvem...", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXIV, n° 124-125 (11-12/2014), p. 17
  • "Levar o MPD para a oposição é uma responsabilidade patriótica", A semana, ano VIII, n° 407 (1999), p. 9
  • "A dignidade por uma carroça", A semana, ano VIII, n° 363 (1998), p. 20
  • "Regionalização / auto-organização", A semana, ano VI, n° 297 (1997), p. 16
  • "Privatizações aos trambolhões", A semana, ano V, n° 226 (1995), p. 11
  • "Por uma oposição mais unida", Correio quinze, ano II, n° 32 (1995), p. 12
  • "Cuidado com os ciganos", Correio quinze, ano I, n° 14 (1994), p. 7
  • "Por um novo partido", A semana, ano III, n° 146 (1994), p. 2
  • "O timbre de uma gestão", Mensagem: dia mundial das telecomunicações, n° 7 (1994), p. 21
  • "Autoritarismo numa sociedade democrática", A semana, ano III, n° 113 (1993), p. 6
  • "Gestão: da teoria à prática", Mensagem: revista dos correios e telecomunicações de Cabo Verde, ano II, n° 2 (1992), p. 19-20
  • "Os sonhos para uma empresa dinâmica", Mensagem: revista dos correios e telecomunicações de Cabo Verde, ano I, n° 2 (1991), p. 24
  • "A política poética: não mates a cotovia", Agaviva, ano I, n° 4 (1991), p. 7
  • "Prespectivas de exportação da banana de Angola para os países de Leste", Actualidade económica, ano X, n° 511 (07/1975), p. 14-19

Recueils collectifs - Anthologies - Autres

  • "Voando no infinito da nossa concha", in Christina Bielinski Ramalho (ed.), Literatura entre irmãos: Brasil e Cabo Verde, Aracaju (Brasil): Editora Brasil Casual, 2017, p. n/a
  • Francisco Fontes (ed.), Destino de Bai: antologia de poesia inédita cabo-verdiana, Coimbra: Saúde em português, 06/2008:
Serei como o vento
  1. "Constatação", p. 29
  2. "Desejos", p. 30
  3. "Recordando os amores", p. 31
  4. "Efeito e causa", p. 32
  5. "O vento, única constante", p. 33
  6. "A loucura", p. 34
  7. "Um certo saber", p. 35
  8. "A prostituição", p. 36
  9. "Os obstáculos", p. 37
  10. "As prisões", p. 38
  • Francisco Fontes (ed.), Tchuba na desert: antologia do conto inédito cabo-verdiano, Coimbra: Saúda em português e Autores, 11/2006:
  1. "Um rapaz educado", p. 45-47
  2. "Uma saída possível", p. 48-49
  3. "Um amor virtual", p. 49-52
  • "Uma outra visão ou o não dito", in Carlos Araújo (coord.), Forum Convergência : de Mindelo para Cabo Verde : convergência para a solidariedade, Mindelo: Forum Convergência, 1995, p. n/a
  • Carlos Araújo (dir.), Lisboa e os descrobrimentos (1415-1580): a invenção do mundo pelos navegadores portugueses, Lisboa: Terramar, 1992, 290 p. (trad. Ana Paula Faria; coll. Memórias, n° 1 / édition originaleLisbonne hors les murs (1415-1580), Paris: Editions Autrement, 1990)
Traduction (homonyme?)
  • Malcolm Silverman, Protesto e o novo romance brasileiro, Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2000 (2a ed. revista), 462 p.
  • Malcolm Silverman, Protesto e o Novo Romance Brasileiro, Porto Alegre: Editora da Universidade Federal de São Carlos e Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1995, 319 p. (tradução de Carlos Araújo)  (web)
Vidéo - Interview
  • "Carlos Araújo lança primeiro conto infantil", Revista / RTC.cv,  n° 105 (18/12/2015), en ligne  (web)
  • "Escritor Carlos Araújo lança nova obra poética: A canção da ilha", Revista / RTC.cv,  n° 72 (12/03/2015), en ligne  (web)
Théâtre
  • A canção da ilha, Centro cultural do Mindelo, 28-29/03/2014 (web)

haut

Etudes critiques - Articles

 

  • Aucune étude critique complète ou partielle  n'a été trouvée!

haut

Contos do Arco-da-velha

(1997)

Doze por dez

(1998)

Na corda bamba

(1999)

Vendaval

(2000)

SOLRAC...

(2015)