João Manuel VARELA,
alias João VÁRIO...
(1937 - 2007)

Biographie


João Manuel Varela, plus connu sous le nom de João Vário, est né le 7 juin 1937 à Mindelo et meurt le 7 août 2007 dans la même ville.
Après avoir achevé le lycée au Cap Vert, il part étudier la médecine à l'université de Coimbra en 1956, puis de Lisbonne et poursuit ses études à l'Université d'Anvers où il obtient son doctorat en médecine et où il enseigne en tant que professeur de neuropatologie et de neurobiologie.
Médecin, neuroscientifique et professeur universitaire à l'Instituto superior de engenharia e ciências do mar (ISECMAR), il a donné son nom à une maladie, le Syndrome Varela.
Il a vécu plus de 40 ans hors de l'archipel, dont 1o en tant qu'exilé politique.

Il occupe le siège n° 34 des Patronos / Imortais da Academia Cabo-verdiana de Letras, fondée en 2013.

haut

Oeuvres littéraires


Écrivain prolifique, João Manuel Varela, en plus de son alias João Vário, a deux autres pseudonymes, à savoir T.T. Tiofe (ou Timóteo Tio Tiofe) à partir de 1961 et G. T. Didial (ou Geuzim Té Didial) qui apparaît dans les années 1980.
En 1961, il édite, avec Luís Serrano et Rui Menes, un recueil de poésie intitulé Êxodo, dans lequel il publie un de ses premiers poèmes.
Il est directeur et co-fondateur de la revue Anais  (Mindelo) de 1999 à 2001.
Bien que conséquente et de qualité, son oeuvre reste cependant peu connue du grand public. Elle est très influencée, semble-t-il, par la littérature occidental, en particulier par Saint-John Perce, T.S. Elliot, Ezra Pound, Aimé Césaire, Dante, ainsi que la Bible, dont on retrouve de ci de là des citations ou des références dans ses écrits.

haut

NÃO É PARA MIM

Subi todos os degraus
que o ar constrói
nas palmas das mãos dos homens.

Vesti as roupas ásperas
que o vento enrola
no corpo de todos os homens,
e senti os seus dedos arenosos
despertarem-me, persuasivos,
para uma vida livre e errante.

Vivi na praia
o eterno namoro do mar,
a sua poesia arrebatada,
a sua música quente e apaixonada.

Mas a música
a poesia,
a vida livre e errante,
as imagens
são uma verdade lingínqua
que não é sossego
nem para o meu espírito
nem para a minha carne...

Horas sem carne, 1958

CONFRONTO

Em cada flor
uma geração de realidades puras
e uma vontade segura
de criar beleza;
em cada folha
um mundo subtil
de formas vivas e múltiplas revelações:
em cada ramo
uma noção avançada
de um espaço infinito
em que cabe
toda uma criação;
em cada caule
a consciência firme
de uma existência colectiva;
em cada raiz
a força conjugada
de elementos heterogéneos
mas cientes da verdade
que encerra a vida;

Em cada fruto
uma bondosa finalidade
uma razão de ser persistente
que se compreende, se sente e ses completa;
em cada gomo
a repetição da vida
a afirmação do mundo.
a palavra perene do Criador aos seres criados.

Em cada célula vegetal,
em cada célula animal
uma constante que luta
e uma variável que torna possivel
essa mesma luta.

Em muitos homens
uma alma destruída,
um coração partido
caído por terra...

Horas sem carne, 1958

haut

Bibliographie


Oeuvres

  • João Vário, Exemplos: selecão, Lisboa: Tinta-da-China, 2013, 303 p., 20 cm. (pósfacio Osvaldo Manuel Silvestre)
  • João Vário, Exemplos: livros 1-9, Mindelo: Edições Pequena Tiragem, 2000, 461 p.
  • G.T. Didial, Contos da Macaronésia vol. II, Mindelo: Edições Calabedotche, 1999, 173 p. (web)
  • João Vário, Exemplos (livro 9). Exemplo Coevo, Praia: Spleen Edições, 08/1998, 74 p.  (web)
  • G.T. Didial, Conto n° 4: a narrativa contraditória, Praia: Movimento pró-cultura, 1997, pag. var.
  • João Vário, Exemplo coevo (Exemplos n° 9), Praia: Movimento pró-cultura, 1997, pag. var.
  • G.T. Didial, Feitiço de cão, Praia: Movimento pró-cultura, 1993, pag. var.
  • G.T. Didial, Contos da Macaronésia vol. I, Mindelo: lheu editora, 1992, 195 p.  (web)
  • G.T. Didial, O estado impenitente da fragilidade: romance, Praia: ICLD, 11/1989, 226 p., 22 cm. (coll. Ficção)  (web)
  • T.T. Tiofe, O primeiro livro de Notcha: discurso V, Luanda: União dos escritores angolanos, 1980, 32 p. (coll. Cadernos lavra e oficina, n° 28)
  • T.T. Tiofe, O primeiro e o segundo livros de Notcha, Mindelo: Edições Pequena Tiragem, (198-), 311 p., 22 cm.
  • T. T. Tiofe, O primeiro livro de Notcha, São Vicente: Gráfica do Mindelo, 1975, 90 p., 22 cm.
  • João Vário, Exemplo dúbio, Coimbra: s.n., 1975, 49 p., 23 cm.
  • João Vário, Exemplo geral, Coimbra: s.n., 1966, 43 p., 23 cm.
  • João Vário, Horas sem carne: poemas, Coimbra: Coimbra editôra., 1958, 57 p., 20 cm. (coll. Imbondeiro, n° 44): retirado do mercado pelo autor!

Périodiques

  • João Vário, "Exemplos, livro 12", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XI, n° 45 (05-06/2002), p. 2
  • G.T. Didial, "Novela um: Gratidão", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano X, n° 43-44 (03-04/2002), p. 9-11 + 16 + 18-19
  • J.M. Varela, "O papel dos recursos humanos no desenvolvimento de Cabo Verde", KCultura: revista de estudos cabo-verdianos, n° especial (09/2001), p. 93-106
  • Anais, vol. III, n° 1 (04/2001):
  1. J. M. Varela, "Abertura", p. 5-6
  2. João Manuel Varela, "Contribuição para a utilização terapêutica de plantas medicinais de Cabo Verde e de plantas medicinais comuns a Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau e Moçambique", p. 57-74
  • Anais, vol. II, n° 3 especial (12/2000):
  1. J. M. Varela, "Abertura", p. 5
  2. J. M. Varela, "I Parte: Mesa redonda sobre poesia africana contemporânea", p. 7-10
  3. J.T. Didial, "II Parte: o acaso e o espirito", p. 61
  4. João Vario, "Certas alfaias dum poeta angolano. Note sobre Nas barbas do bando  de Savid Mestre (Jornal de Angola, n° 112 (4/09/2000)", p. 63-64
  5. "Simonetta Jung ou l'ambiguité anatomique comme hantise des rites du réel", p. 65-67
  6. T.T. Tiofe, "Apresentando um jovem pintor cabo-verdiano (Voz di povo, 28/03/1981)", p. 69
  7. "Linda Vinck: un cas particulier d'enumération en peinture", p. 71-73
  8. "Mindelact 98. Festival internacional de teatro do Mindelo (9-20 Agosto 1998): um balanço crítico (Artiletra, 1998)", p. 75-81
  9. "O meu compatriota João Branco, encenador, formador e director do Grupo de teatro do Centro cultural português do Mindelo (Mindelact, n° 5 (1999), p. 32-34)", p. 83-86
  10. "Vêem-se caras mas não se vêem corações: no lançamento do livro Porcos em delírio  de Jorge Carlos Fonseca (Artiletra, 1998)", p. 87-92
  11. "Clara Andermatt, António Tavares e os outros: a dança contemporânea e as relações (não perigosas) entre Portugal e Cabo Verde (Cidadão, 1999)", p. 93-96
  12. "Tchalé Figueira: pintor das grandes e pequenas visissitudes cabo-verdianas (Cidadão, n° 4 (09/1999))", p. 97-99
  13. "Dois pintores Cobra  em Cabo Verde: entendendo Mito e Alexandre Silva (Horizonte, 1999)", p. 101-103
  14. "Um pioneiro da pintura cabo-verdiana, que nos chega de Lawrence, USA: Bitim de d'Nhose (Anais, n° 1(3) (12/1999))", p. 105-107
  15. "Cloun Creolus Dei - uma noite de pura magia cénica: quatro magos no reino de Micadinaia (Horizonte, 1999)", p. 109-110
  16. "O Grupo teatral Ramonda no Mindelact 1999 (Cidadão, 1999)", p. 111-112
  17. "Bom gosto e mau gosto na obra de arte. A propósito de Como uma formidável cascata gelada  por Christine de Villepoix. Acto. Instituto de arte dramática. Estarreja. Portugal (A semana, 29/09/2000)", p. 113-116
  18. "Eça de Queiroz e eu (A semana, 13/10/2000)", p. 117-119
  • Anais, vol. II, n° 2 (08/2000):
  1. J. M. Varela, "Abertura", p. 5-8
  2. João Manuel Varela, "Cientificidade, interpretação e ficções do conhecimento médico ou as sociedades e a sua medicina ? Um estudo comparativo", p. 9-30
  • Anais, vol. II, n° 1 (04/2000):
  1. J. M. Varela, "Abertura", p. 5-6
  2. João Manuel Varela, "Ética e moral nas sociedades negro-africanas", p. 19-27
  • Anais, vol. I, n° 3 (12/2000):
  1. J. M. Varela, "Abertura", p. 5-6
  2. João Manuel Varela, "Plantas medicinais comuns a quatro países da África lusófona ? Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique: pistas para a sua utilização terapêutica", p. 57-75
  3. T.T. Tiofe, "Segunda epístola ao meu irmão António: em torno de Pão e fonema  de Corsino Fortes", p. 91-105
  • João Manuel Varela, "Brazil and the Cape Verde Islands: Some Aspects of Cultural Influence", Diogenes, vol. 48(3), n° 191 (2000), p. 91-108
  • Anais, vol. I, n° 2 (08/1999):
  1. J. M. Varela, "Abertura", p. 5-7
  2. João Manuel Varela, "A doença de iniciação e as carreiras médicas tradicionais. O caso dos Muílas", p. 9-19
  3. João Manuel Varela, "Uma visão do ensino e da investigação na Universidade de Cabo Verde? Breve estudo preliminar", p. 45-74
  • Anais  (Mindelo), vol. I, n° 1 (04/1999):
  1. J. M. Varela, "Abertura (Mindelo, março 1999)", p. 5-7
  2. João Manuel Varela, "A investigaçõ científica. Métodos e enquadramento", p. 9-18
  • João Vário, "No lançamento de Porcos em delírio: vêem-se caras mas não vêem corações", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VIII, n° 29 (05-06/1999), p. 18 + 20
  • João Vário / Paula Seelt / João Branco, "Uma questão irrespondivel", O cidadão, ano I, n° 0 (1999), p. 20-21
  • G.T. Didial, "O grupo teatral Ramonda no Mindelact 1999", Mindelact: teatro em revista, n° 5 (1999), p. 15-17
  • G.T. Didial, "Mindelact 98: um balanço crítico", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VII, n° 28 (11-12/1998), p. 19-20
  • G.T. Didial, "Contos n° 8: o paralítico de Micadinaia", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VII, n° 24 (06-07/1997), p. 6
  • G.T. Didial, "As pernas de Stéphanie", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VI, n° 23 (03-04/1997), p. 5
  • G.T. Didial, "Conto n° 1: a hemiplegia", África: literatura, arte e cultura, ano VII (2a série), n° 12 (12/1985-02/1986), p. 45-60
  • T.T. Tiofe, "O primeiro livro de Notcha: discurso VI", Voz di povo, ano VI, n° 267 (1981), p. 10
  • T.T. Tiofe, "Primeira epístola ao meu irmão António: a propósito de O primeiro livro de Notcha", África: literatura, arte e cultura  (Lisboa), vol. I, n° 3 (01-03/1979), p. 271-279
  • João Vário, "Este esforço de sopesar as raízes", África: literatura, arte e cultura, ano I, n° 2 (10-12/1978), p. 171-173
  • J.M. Varela, "As faculdades de medicina na revolução africana", Raízes, ano IV, n° 7-16 (07/1978 - 12/1980), p. 71-85
  • T.T. Tiofe, "Extrado da Epistola ao meu irmão António a propósito de O primeiro livro de Notcha", Voz di povo  (Praia), n° 48 (05/07/1976), p. 19
  • João Vário, "Canto primeiro", in Êxodo, Coimbra: s.n., 1961, p. 12-21 (web)

Recueils collectifs - Anthologies - Autres

  • Erica Antunes Pereira / Maria de Fátima Fernandes / Simone Caputo Gomes (ed.), Cabo Verde, 100 poemas escolhidos, Praia: Ed. Pedro Cardoso, 2016:
  1. João Vário, "Não é para mim", p. 93
  2. Timóteo Tio Tiofe, "O primeiro livro de Notcha - Primeira parte - Prólogo", p. 94
  3. Timóteo Tio Tiofe, "O primeiro livro de Notcha - Terceira parte - Discurso I", p. 95-96 
  • Francisco Fontes (ed.), Destino de Bai: antologia de poesia inédita cabo-verdiana, Coimbra: Saúde em português, 06/2008:  (sous pseudo G.T. Didial)
  1. "Prefácio", p. 77-78
  2. "Proposição", p. 79-85
  3. "Invocação", p. 86-91
  • João Vário, "Sim, vieram para testemunhar também", in Alice Brás / Armandina Maia (ed.), Vozes poéticas da lusofonia, Sintre: Câmara Municipal, 1999, p. 123-126
  • (FR) "Exemples", Poésie 94, n° 52 (04/1994), p. 97-98
  • T. T. Tiofe, "Arte poética e artefactos poéticos em Cabo Verde: reflexões sobre os últimos 50 anos da poesia cabo-verdiana", Les littératures africaines de langue portugaise. A la recherche de l'identité individuelle et nationale  (acte du colloque intern. de Paris (28/11-01/12/1984)), Paris: Fondation Calouste Gulbenkian, 1985, p. 309-315
  • Manuel Ferreira (ed.), No reino de Caliban: antologia panorãmica da poesia africana de expressão portuguesa  (vol. I: Cabo Verde / Guinée-Bissau), Lisboa: Seara Nova, 1975 (3a ed. 1988):
  1. "Não é para mim", p. 269; 1988, p. 263
  2. "Confronto, p. 269-270; 1988, p. 263-264
  3. "Micropoema", p. 270-271; 1988, p. 264-2265
  4. "sans titre (Mas ontem, ontem falámos desse homem)", p. 271; 1988, p. 265
  5. "sans titre (E diz-se que há ofegantes vinhos)", p. 271-272; 1988, p. 265-266
  6. "sans titre (Há muito passado no estar aqui com o tempo)", p. 272-273; 1988, p. 266-267
  7. "sans titre (E então subimos aquele grande rio)", p. 273; 1988, p. 267
  8. "sans titre (E hemos escrito em Londres, dos lados de Queensway)", p. 273-274; 1988, p. 267-268
  • António Ramos Rosa, Líricas portuguesas, 4a série, Lisboa: Portugália editora, 1969, p. 147-156
  • Jaime de Figueiredo (ed.), Modernos poetas cabo-verdianos: antologia, Praia: Edições Henriquinas Achamento de Cabo Verde, 1961:
  1. "Apelo", p. 183-184
  2. "Convicção", p. 185-186

haut

Etudes critiques


  • A nação: jornal independente, n° 522 (31/08/2017):
  1. António Chantre Neves, "Há dez anos morreu João Vário: o nosso génio desconhecido", p. E2-E3
  2. anonyme, "Quem foi João Manuel Varela", p. E4
  • Luis Serrano, "João Vário, esse grande escritor cabo-verdiano", Memórias de África e do Oriente, 2017, en ligne  (web)
  • Maria de Fátima Fernandes, A expressão metafórica do sentido de existir na literatura cabo-verdiana contemporânea: João Varela, Corsino Fortes e José Luís Tavares, São Paulo: Universidade de São Paulo, 2013, 275 p.  (web)
  • Osvaldo Manuel Silvestre, "Apresentação de um poeta errante (pósfacio)", in João Vário, Exemplos: selecão, Lisboa: Tinta-da-China, 2013, p. 287-303
  • Rui Guilherme Figueiredo da Silva, Exemplo cosmopolita: João Vário, Arménio Vieira e José Luiz Tavares, Coimbra: Universidade de Coimbra, 2013, 390 p.  (web)
  • Ana Salgueiro Rodrigues, "Itinerâncias macaronésias. Mito e discurso científico na obra pseudo-heteronímica de João Varela", in Itinerâncias: percursos e representações da pós-colonialidade, Vila Nova de Famalicão (PT): Edições Húmus, 05/2012, p. 261-272  (web)
  • Ricardo Silva Ramos de Souza, "Timóteo Tio Tiofe", A nação, n° n/a (10/02/2011), p. 27
  • Rui Guilherme Gabriel, "Exemplo barroco: o paradigma poético de João Vário", Confluenze  (Bologna), vol. 2, n° 1 (2010), p. 112-119  (web)
  • Ana Margarida da Esperança Bernardo Salgueiro Rodrigues, "O mito da Macaronésia na ficção de G.T. Didial", in Dina Chainho Chora (org.), Vozes de Cabo Verde e de Angola : quatro percursos literários, Lisboa: Centro de literaturas e culturas lusófonas e europeias da Faculdade de letras da Universidade de Lisboa, 2010, p. 109-163
  • Ana Salgueiro Rodrigues, "Ilhas para além das ilhas. Cartografias da ilheidade e processos de referência em Cabraldo Nascimento (Madeira), G.T. Didial (Cabo Verde) e João de Melo (Açores)", Anuário do centro de estudos de história do Atlântico  (Funchal), n° 2 (2010), p. n/a  (web)
  • Ricardo Silva Ramos de Souza, "João Vário - Exemplos - exemplos coevo", A nação, n° n/a (16/09/2010), p. 16
  • José Vicente Lopes, "João Manuel Varela: do primeiro ao último encontro", Pré-textos: revista de arte, letras e cultura: homenagem a João Varela, série II, n° 3 (08/2009), p. 17-21
  • Silvina Rodrigues Lopes, "Sair do paradigma da dívida, a partir da leitura de João Vário", Via Atlântica: publicação da área de estudos comparados de literaturas de língua portuguesa  (São Paulo), n° 15 (06/2009), p. 243-253  (web)
  • Osvaldo Manuel Silvestre, "João Vário. Todo o homem é Babel", in José Luís Hopffer C. Almada (coord.), O ano mágico de 2006. Olhares retrospectivos sobre a história e a cultura cabo-verdianas, Praia: Ministério da Cultura de Cabo Verde, 2008, p. 627-660
  • Luís Serrano, "O sentimento da morte na obra Exemplo  de João Vário", 01/2008, inédit  (web): depuis édité dans Eugénio Lisboa – Vário, intrépido e fecundo: uma homenagem, Guimarães: Opera Omnia, 2011, p. 291-304  (web)
  • Silvina Rodrigues Lopes, "Vário, Singular: perseverança canto sobriedade (a deslocante contemporaneidade)", Telhado de vidro  (Lisboa), n° 9 (11/2007), p. 125-136
  • Luís Serrano, "O estado impenitente da fragilidade  de G.T. Didial", O primeiro de Janeiro (suplemento das Artes das letras), n° n/a (02/07/2007), p. n/a  web)
  • Luís Serrano, "João Vário / João Manuel Varela, um poeta maior", Jornal de letras, artes e ideias  (Lisboa), n° 962 (15/08/2007), p. 3  web)
  • Luís Serrano, "O primeiro e o segundo livros de Notcha  de Timóteo Tio Tiofe", O primeiro de Janeiro (suplemento das Artes das letras), n° n/a (02/07/2007), p. n/a  (web)
  • Luís Serrano, "João Vário, esse grande escritor cabo-verdiano", O primeiro de Janeiro (suplemento das Artes das letras), n° n/a (26/03/2007), p. n/a  (web)
  • Babacar Sall, "Entretien avec João Manuel Varela", Africultures. Les mondes en relation, n° 26 (29/02/2000), p. n/a  (web)
  • Alírio Dias de Pina, "Obras poéticas de João Vário vão ser reunidas num único volume", A semana, ano VIII, n° 416 (1999), p. 19
  • "João Varela: uma entrevista (possível) concedida a Daniel Spínola", Pré-textos: revista de arte, letras e cultura  (Praia), n° n/a (12/1998), p. 105-112 
  • Alírio Dias de Pina, "João Vário conta acontecimentos do ano do seu nascimento", A semana, ano VIII, n° 380 (1998), p. 17
  • "João Varela e Heterônimos: homem dos trópicos nem anónimo nem "ageográfico". Entrevista a Filipe Correia de Sá", Voz di povo  (suplemento Cultura), n° n/a (17/03/1992), p. II-IV
  • "Encontro com João Varela / João Vário / Tio Tiofe / G.T. Didial", in Michel Laban, Cabo Verde - Encontro com escritores, vol II, Porto: Fundação Eng. António de Almeida, 1992, p. 451-473
  • "A ficção tem sido superior à poesia: entrevista por Manuel Brito Semedo", A semana  (Praia), n° 33 (20/12/1991), p. 11
  • Teobaldo Virgínio, "O primeiro livro de Notcha", Voz di povo, n° 219 (10/01/1980), p. 8
  • Arménio Vieira, "Breve comentário à conferência de João Vário: as estruturas da lírica africana contemporânea", Voz di povo  (Praia), ano III, n° 131 (1978), p. 6
  • Russel G. Hamilton, "Corsino Fortes, João Varela e a "nova" poesia cabo-verdiana", África: literatura, arte e cultura  (Lisboa), vol. 1, n° 2 (10-12/1978), p. 164-170
  • Fernando Assis Pacheco, "Exemplo geral: poema por João Vário", Vértice  (Lisboa), n° 285 (06/1967), p. 395-396
  • José Blanc de Portugal, "Emissora nacional: crítica literária (Exemplo geral  de João Vário), documento 1'452 (13/06/1966)
haut

O primeiro livro...

(1975)

O estado...

(1989)

Macaronesia 2

(1999)

Macaronesia 2

(1999)

Exemplos 1-9

(2000)

Notcha 1-2

(2001)

Exemplos

(2013)