Jorge Carlos de Almeida FONSECA
né en 1950

Biographie


Jorge Carlos de Almedia Fonseca est né le 20 octobre 1950 à Mindelo.
Fils d'Albertina Maria Neves (1926-) et de Mário Ivo de Almeida Fonseca (1906-1985), il épouse en premières noces Dulce Valadares Dupret (1949-), puis, en secondes noces Lígia Lubrino Dias (1963-), en 1989. Il est père de trois enfants.
Il effectue toute sa scolarité entre Praia et Mindelo.
Après des études de Droit à l'Université de Lisbonne, il devient tout à la fois juriste, essayiste, chroniqueur, professeur universitaire, politicien.
Bien qu'ayant fait ses classes dans les structures clandestines du PAICV, il romp avec le partie unique en 1979 et fonde, l'année suivante, les Círculos cabo-verdianos para a Democracia (CCPD). Finalement, il adhère au nouveau Mouvement pour la Démocracie (MPD).
De 1975 à 1979, il est directeur général de l'Emigration et des services consulaires, ainsi que premier secrétaire du Ministère des affaires étrangères. Puis ministre des affaires étrangères (1991-1993) et finalement Président de la République du Cap Vert depuis 2011.​

Pour plus d'informations, nous renvoyons au site barrosbrito.org (web), ainsi qu'au site présidentiel qui propose son cv officiel (web).

haut

barrosbrito.org
Jornal de São Nicolau

Oeuvres littéraires


Jorge Carlos Fonseca est tout à la fois l'auteur de plusieurs ouvrages et articles de fond sur le droit constitutionel des plus sérieux et à la fois l'auteur de trois recueils de poésie pleins d'ironie, de fantaisie et de provocation.
Il collabore à plusieurs périodiques locaux et internationaux spécialisés dans le domaine du Droit ou de la Culture.
Il est également fondateur et directeur de la revue capverdienne Direito e cidadania, éditée à Praia depuis 1997.

haut

POEMA DE AMANHÃ

Flores de lua
Lua de pétalas
Pétalas de estrelas
Estrelas de sonhos
                              Sonhos de

peixe enlatado
correção torrencial
barcos reparados em São Vicente
namíbia Revolução
angola próspera
apartheid aniquilado
aviões pousando em S. Antão
(Caminho de serpentinas coloridas com sangue de herõis anónimos)

           Cabras sorrindo
           Sorrisos de terra
           Terra de espelhos
           Espelhos de vida
           Vida de sonhos
                                      Sonhos de

hospitais equipados
poetas de vento
operário americanos em luta
é-preciso-precaver-perigo-poluição-em-S. Vicente
brava contente
mosteiros fazendo anedota dos tempos de outrora
chile liberto - desta vez vamos para a frente
catraeiros de Porto Novo assobiando canções de manhã
(Sementes de morte para a vida fechada em lubos de ensaio...)

           Bandeiras vermelhas
           Vermelho de crianças
           Crianças de vida
           Vida de sonhos de

sal-rei fardado (embarcado para Espanha)
tomates cobrindo rua lisboa
palestina cantando
amor inundando S. Nicolau de italianos com lábios de flores
armas a caminho de New York
(Sonhos de ontem semeando a Revolução de amanhã...)

Raízse, ano I, n° 1 (1977), p. 86-87

haut

O PARTIDO   O PARTIDO   O PARTIDO

Brilhava  esbelta provocante  a clandestinidade
nas nossas senhas vistosas
proletário senhores/corpos hipnotizados em fuga
estranho e bendito tratado

ratificado em
alcântara   praia praça alexandre albuquerque setembro de
1972
matiota  barreiro  e nhagar
cantares
mordaças correias
panfletos
o tony a dulce o zé a lena

Depois chegavam os ídolos
as máscaras
a festa
dançámos todos sem excepção
a alegria do parto comum
do esperma derramado em
assomada roterdam
pitche amadora
o suor escaldante de nossas viagens bélicas e subterrâneas
transformara-se em valete de copas
na disputa fácil
de útero flutuantes.

Depois
a redescoberta
os signos
os mitos enegrecidos
a mediocridade escultural
a tortura dos vasos
rotas
pâncreas
o desespero métrico dos pesadelos metralhados
o escárnio matemático dos rins servis
o desejo cúbico dos voos retardados.

Enquanto calcetamos os cérebros e a rótula
e nos desdobramos em renúncia e cópula
violentamos permanentemente
a fronteira dos espasmos consentidos
e
a comichão da América
que nos vem seduzindo
e aporcalhando as traqueias.

Porcos em delírio, 1998, p. 41-40

haut

HOMOFONIAS DA ARITMÉTICA OU AS ATRIBULACÕES DA BRAVA ILHA DA SOLIDÃO E DA DOCURA ESMAGADA PELA ANEMIA

os sons agourentos
eu
a hipotética ave
a morte doce
tu
esta dor turva
uma prisão recauchutada sorri para a fotografia +
subverto logo existo

uma palavra   solta   desinibida
mas por que terá a onda que quebrar
se o mar é tudo menos tolo e submisso?
ananinhanão
morrer eu antes morra o patrão +
existo   logo resisto

o tecto nublado numa paisagem de verde envergonhado
a ilha mansa rebelando-se uma vez todos os dois anos
a paixão instantânea sem sequer tempo de um beliscão +
sorriem os girassóis   logo existimos

um inquérito embriagado
a polícia... oh! a polícia
a missa   o violino   o pescado corcunda de tanta ladeira +
não há tempo para um instante de amor

a lua sorridente
a grade marota
o tudo ou nada
o amor permanente
a subversão transparente +
cinco tempos de uma demência necessária

Porcos em delírio, 1998, p. 11-10

Bibliographie


Oeuvres

  • A sedutora tinta de minhas noutes, Praia: Rosa de Porcelana Editora, 2019, 228 p., 22 cm.
  • O albergue espanhol, Lisboa: Rosa de Porcelena, 2017, 210 p., 23 cm.
  • Magistratura de influência: intervenções do presidente da República de Cabo Verde, Praia: Casa civil da Presidencia da República de Cabo Verde, 2013-2018, 6 vol., n/a p., 24 cm.
  • Cabo Verde: constituição, democracia, cidadania, Coimbra: Edições Almedina, 2011, 386 p., 23 cm. (pref. Jorge Miranda)
  • Elementos para o estudo do Código penal de Cabo Verde, Praia: Fundação Direito e Justiça, 2005, 2 vol., 83 p., 22 cm.  (web1 - web2)
  • A execução das sanções criminais em Cabo Verde: uma perspectiva renovada, Praia: Universal Frontier,  2004, 211 p., 22 cm.
  • Sucessão de leis no tempo; Erro sobre a ilicitude; Actos preparatórios, tentativa e desistência; Obediência devida, (Praia): Fundação Direito e Justiça, 2004, 91 p., 22 cm. (coll. Elementos para o estudo do Código penal de Cabo Verde, cadernos, n° 2)
  • Dados de um percurso legislativo; O decreto-legislativo de aprovação do código penal, (Praia): Fundação Direito e Justiça, 2004, 621 p., 22 cm. (coll. Elementos para o estudo do Código penal de Cabo Verde, cadernos, n° 1)
  • Um novo processo penal para Cabo Verde: estudos sobre o anteprojecto de novo código, Lisboa: Associação académica da Faculdade de Direito de Lisboa, 2003, 304 p., 23 cm. (coll. Estudos - ensaios)
  • Reformas penais em Cabo Verde, vol. 1, Praia: Instituto de promoção cultural (IPC), 2001, 217 p., 22 cm. (coll. Estudo e ensaios)
  • Porcos em delírio, Mindelo: Artiletra, 1998, 92 p., 22 cm.
  • Diálogo com o silêncio - O princípio da tarde de sete de Dezembro - Morre fulminado antes de nascer amor louco coxeando nas valetas de Manhattan, Praia: Movimento pró-cultura, 1997, n/a p. 
  • O silêncio acusado de alta traição e de incitamento ao mau hálito geral, Mindelo: Spleen Editions, 1995, 64 p., 23 cm.
  • J.C.F. / Jorge Silveira, Direito processual penal (apontamentos de lições), Lisboa: n/a, 1987, n/a p.
  • Crimes de empreendimento e tentativa: um estudo com particulares incidência sobre o direito penal português, Coimbra: Livraria Almedina, 1986, 197 p., 23 cm.: Dissertação de pós-graduação em ciências juridicas, apresentada na Faculdade de Direito de Lisboa, 1982, 282 f., 30 cm.
  • O sistema de governo na Constituição cabo-verdiana, Lisboa: Associação académica da Faculdade de Direito (AAFDL), 1982, 110 p., 22 cm.; réédition: 1990

Périodiques

  • "Erigir o futuro do pais (entrevista)", Nos Genti - Cabo Verde: negócios, pessoas e empreendedorismo, n° 4 especial (09/2012), p. 44-59
  • "Revisitação a um provedor de cidadania em Cabo Verde: depois da constitucionalização, da lei estatutária, ainda à espera... de provedor", Direito e cidadania, ano IX, n° 27 (2008), p. 85-115
  • "O sistema prisional face às organizações criminosas: um olhar a partir da constituição penal global", Revista portuguesa de ciência criminal  (Coimbra), ano XVI, n° 3 (07-08/2006), p. 393-422
  • "Do regime de partido único à democracia em Cabo Verde: as sombras e a presença da constituição portuguesa de 1976", Themis, n° especial (2006), p. 81-118
  • "Algumas recomendações (medidas legislativas e/ou instituição): no âmbito particular de protecção das vítimas de crimes violentos em especial mulheres", Direito e cidadania, ano VI, n° 19 (01-04/2004), p. 9-23
  • "Eficácia do contrato de seguro no direito cabo-verdiano", Themis, ano V, n° 8 (2004), p. 95-144
  • "Volúpias de escrita ou 4 x 4: Nhô Raúl: os sons do imperador", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XI, n° 45 (05-06/2002), p. 27
  • "Volúpias de escrita ou 4 x 4: indígenas extravagâncias e multiplicidade de almas", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano X, n° 43-44 (03-04/2002), p. 27
  • "Volúpias de escrita ou 4 x 4: Luis e o Senhor", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano X, n° 42 (12/2001 - 01/2002), p. 27
  • "Uma noite com Eugénio Tavares, no sítio de Santa Bárbara, no ano de 1921-1998, com a promessa de um reencontro daqui por cinco anos", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano IX, n° 34-35 (06-07/2000), p. 24
  • "Fiscalização da constitucionalidade: algumas notas, em jeito de Trópicos desenvolvidos, com incidência participar sobre o direito cabo-verdinao", Direito e cidadania, ano III, n° esp. (1999), p. 45-59
  • "Estado de direito democrático, direitos fundamentais e o Instituto do Ombudsman", Administração: revista de administração pública de Macau, vol. XII, n° 43 (03/1999), p. 71-84
  • "Para hoje falarmos do amor", Horizonte, ano I, n° 27 (1999), p. II-III
  • "Os reaccionários: os regressivos e as seringas pluri-reincidentes", A semana, ano VIII, n° 429 (1999), p. 8
  • "A rã e o lacrau", A semana, ano VIII, n° 420 (1999), p. 8
  • "Electricidade: desígnio, chefia do estado, revisão constitucional, Jacinto Santos, sondagens, férias, magia, palavras e corpos", A semana, ano VIII, n° 415 (1999), p. 12
  • "O partido "D.A."?", A semana, ano VIII, n° 412 (1999), p. 9
  • "Alguém está já hoje eleito em 2000 ou 2001?", A semana, ano VIII, n° 410 (1999), p. 6
  • "Estranhas aritméticas: os votos, as crianças, os presos, os ministros, os sálarios, os secretários, o amor e a poesia", A semana, ano VIII, n° 407 (1999), p. 8
  • "Contra a maioria absoluta: uma contramaioria absoluta?", A semana, ano VIII, n° 405 (1999), p. 8
  • "Revisão e pé-coxinho e mestiçagem ideológica", A semana, ano IV, n° 401 (1999), p. 6
  • "Enquanto as mulheres tiverem vergonha das quotas quem entra são as namoradas dos autarcas casados: terá isto alguma verdade?", A semana, ano VIII, n° 399 (1999), p. 6
  • "Toda a atracção é reciproca", A semana, ano VIII, n° 395 (1999), p. 8
  • "Somos todos eternos porque não trabalhamos só para nós", A semana, ano VIII, n° 393 (1999), p. 8
  • "Ideologia da primeira pedra", A semana, ano VIII, n° 391 (1999), p. 6
  • "A liberdade não tornem os homens felizes: fá-lo simplesmente homens", A semana, ano VIII, n° 389 (1999), p. 9
  • "Mudança na mudança ou o combate pela cidadania", A semana, ano VIII, n° 387 (1999), p. 8
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VIII, n° 29 (05-06/1999):
  1. "Entrevista com o poeta Jorge Carlos Fonseca: ... e o crime sempre nos meus braços...", p. 14-17
  2. "À cidade da Praia", p. 15
  • "Encontro com a poesia: Jorge C. Fonseca (do livro Porcos em delírio)", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VII, n° 26-27 (04-05/1998), p. 2:
  1. "Foi-se o mário. Uma carta, esta ?! Mas não se pense que, neste momento, navego em gin tónico !"
  2. "Articulados inconvenientes"
  3. "Poema electrónico"
  4. "No HSM, à espera do otorrino"
  5. "Das flambierte Mädchen"
  • "Partidos políticos e sociedade civil", Direito e cidadania, ano I, n° 3 (1998), p. 113-127
  • "Peculato e abuso de confiança: tipo objectivo e subjectivo - autorização e consentimento - dolo e outros elementos subjectivos da ilicitude - erro sobre os pressuposto de uma causa de justificação", Direito e cidadania, ano I, n° 1 (1997), p. 155-175
  • "O anteprojecto do novo código penal de Cabo Verde: uma leitura, em jeito de apresentação", Revista portuguesa de ciência criminal  (Lisboa), ano VI, n° 3 (07-09/1996), p. 365-427
  • "O MPD, o vibrião colérico e as presidenciais", Correio quinze, ano II, n° 32 (1995), p. 9
  • "A propósito da visita de Cavaco Silva a Cabo Verde", Correio quinze, ano I, n° 13 (1994), p. 10
  • "Estratégia genial ou "o último que apague a luz"?", Correio quinze, ano I, n° 7 (1994), p. 7
  • "Quarenta e nove, catorze ou trinta por cento?", Correio quinze, ano I, n° 1 (1994), p. 10
  • "Brava: as heroínas de Tantum", A semana, ano IV, n° 185 (1994), p. 19
  • "O reino da sucata", A semana, ano IV, n° 180 (1994), p. 7
  • "Praia: o tudo ou nada", A semana, ano IV, n° 174 (1994), p. 8
  • "Consenso: convicção ou necessidade?", A semana, ano IV, n° 164 (1994), p. 9
  • "Golo de Vata ou victória  de pirro", A semana, ano IV, n° 157 (1994), p. 11
  • "Maio ou o jogo do gato e do rato (II)", A semana, ano III, n° 155 (1994), p. 9
  • "A política de pó de arroz", A semana, ano III, n° 153 (1994), p. 9
  • "O comunicado regressivo", A semana, ano III, n° 151 (1994), p. 11
  • "Tentações e perversões", A semana, ano III, n° 149 (1994), p. 11
  • "Manuel Faustino: estratego inimitável ou ministro sitiado", Novo jornal Cabo Verde, ano II, n° 121 (1994), p. 6
  • "A manifestação na ilha imaginária", Novo jornal Cabo Verde, ano II, n° 136 (1994), p. 6
  • "Proposta indecente ou a Câmara da Praia e a aritmética política à moda da casa", Novo jornal Cabo Verde, ano II, n° 118 (1994), p. 7
  • "Sinais (II) ou a pole position para as presidenciais", Novo jornal Cabo Verde, ano II, n° 115 (1994), p. 6
  • "Maio ou o jogo do gato e do rato (I)", Novo jornal Cabo Verde, ano II, n° 112 (1994), p. 4
  • "Sinais", Novo jornal Cabo Verde, ano I, n° 106 (1994), p. 6
  • "Organização judiciária de Macau e processo penal", Administração: revista de administração pública de Macau, vol. IV, n° 12 (06/1991), p. 281-286
  • Raízes, ano II, n° 5-6 (01-06/1978):
  1. "Mar e sal para os crustáceos", p. 112-113
  2. "E porque não a poesia?", p. 113
  • Raízes, ano I, n° 3 (07-09/1977):
  1. "Beija-me, palavra", p. 66-67
  2. "Eu cá não tempo as palavras", p. 68-69
  • Raízes, ano I, n° 1 (01-04/1977):
  1. "A (não) gramática da poesia", p. 84
  2. "A matemática da libertade", p. 85
  3. "Conjugação nocturna", p. 85-86
  4. "Poema de amanhã", p. 86-87

Recueils collectifs - Anthologies - Autres

  • Erica Antunes Pereira / Maria de Fátima Fernandes / Simone Caputo Gomes (ed.), Cabo Verde, 100 poemas escolhidos, Praia: Ed. Pedro Cardoso, 2016:
  1. "Conjugaçõ nocturna", p. 126-127
  2. "Quatro-tempos-o-mesmos-vento", p. 128
  • "O novo direito processual penal de Cabo Verde: dados de um percurso: estrutura e princípios fundamentais", in J.C.F. / Augusto Silva Dias (ed.), Direito processual penal de Cabo Verde: sumários do Curso de pós-graduação sobre o novo processo penal de Cabo Verde, Coimbra: Edições Almedina, 2009, p. 7-161
  • J.C.F. / José Pina Delgado / Liriam Tiujo-Delgado (ed.), Aspectos polémicos da extradição em Cabo Verde e no espaço lusófono: nacionalidade, pena aplicavel, institutos afins, Praia: Fundação Direito e Justiça, 2009, 405 p., 24 cm.
  • Francisco Fontes (ed.), Destino de Bai: antologia de poesia inédita cabo-verdiana, Coimbra: Saúde em português, 06/2008:
  1.  "A saga da rectificação", p. 135
  2. "Nomes", p. 136
  3. "Menopausa", p. 137
  4. "Afinal quem não trai?", p. 138
  5. "Menina de rabo jeitoso", p. 139-140
  • J.C.F. (ed.), Cabo Verde, três decadas depois, Praia: AEC, 2007, 570 p.
  • J.C.F. / Anabela Miranda Rodrigues (ed.), La sécurité publique dans l'État de droit face aux défis de la société du risque: actes / The Relationship Between Public Security in the State of Law and the Challenges Posed by the Society of Risk: Proceedings / A relação entre a segurança pública num Estado de direito e os desafios impostos pela sociedade de risco: actas..., Coimbra: F.I.P.P, 2006, 203 p., 23 cm.
  • "Prefácio", in João Branco, Crónicas desaforadas, Lisboa: Rosa de Porcelana Editora, 2014, p. n/a
  • "Nota introdutiva", in Solange Lisboa Ramos / Geraldo de Cruz Almeida (ed.), Constituição da República cabo-verdiana, Lisboa: Pedro Ferreira, 2002, p. n/a
  • José Luís Hoppfer Cordeiro Almada (ed.), Mirabilis de Veias ao Sol: antologia dos novíssimos poetas cabo-verdianos, Lisboa: Caminho, 1988 (2a ed. 1991 / 3a ed. 1998):
  1. "Quatro-tempos-o-mesmo-vento", p. 256
  2. "Quis-te ausente, poesia interdita, para melhor abraçar a América", p. 257-258
  3. "Homofonias da aritmética ou as atribulações da brava ilha da solidão e da doçura vitimada pela anemia", p. 259
  4. "Não nos respondam nem sim, nem tão-pouco: outros dirão por vós", p. 260
  5. "Eu nunca diria tenho medo ou não tenho medo da morte", p. 261
  6. "Conjugação nocturna", p. 262-263
  7. "A morte viúva do silèncio", p. 264-266
  • Jogos florais 12 de Setembro, Praia: ICL, 1976:
  1. "Saxofone de espuma", p. 39
  2. "Poema de amanhã", p. 40-41
  3. "Ferro e aluminio e cimentos e pozolana e chuva se vier", p. 42-43
  4. "Poema do destemor", p. 44-45
  5. "Poesiaaa, ombrooo, armaaas", p. 46-47
  6. "Para ti amor-sem-dicionários", p. 48

haut

Etudes critiques


  • Arnaldo Silva, "Jorge Carlos Fonseca: doravante só conta a liberdade", Leitura: revista da Livraria Pedro Cardoso, n° 3 (07-09/2018), p. 40-41
  • Filinto Elísio, "O albergue espanhol  e a crítica da razão canónica", A nação: jornal independente, ano X, n° 533 (16/11/2017), p. A13
  • "Jorge Carlos Fonseca: o (não?) romance do Presidente" (entrevista), Jornal das letras, 22/08/2017, en ligne  (web)
  • "40 anos da Revolução: Jorge Carlos Fonseca foi militar de Abril", Jornal de São Nicolau, n° n/a (22/04/2014), en ligne  (web)
  • Ricardo Silva Ramos de Souza, "Jorge Carlos Fonseca: surreal e beat", A nação  (Praia), n° n/a (15/12/2011), p. 14
  • Vera Duarte, "Prólogo: Porcos em delírio  de Jorge Carlos Fonseca", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano X, n° 36-37 (04-05/2001), p. 27
  • "A decisão de Jorge Carlos Fonseca", Horizonte, ano II, n° 79 (2000), p. 5
  • "Jorge Fonseca promete magistratura de influência", Horizonte, ano II, n° 76 (2000), p. 8-9
  • Alexandre Semedo, "Jorge Carlos Fonseca disponível para presidenciais", Horizonte, ano I, n° 27 (1999), p. 6-7
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VIII, n° 29 (05-06/1999):
  1. António Correia, "Meu caro amigo Dr. Jorge Carlos Fonseca", p. 17
  2. "No lançamento do livro Porcos em delírio: vêem-se caras mas não se vêem corações", p. 18 + 20; réédition: Anais, vol. II, n° 3 numéro especial (12/2000), p. 87-92
  3. José Manuel Silva Pires Ferreira, "J.C.F. - poeta beija-flor  da Praia", p. 21 + 20
  • "Artiletra lança Porcos em delírio", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VII, n° 28 (11-12/1998), p. 24
  • "Falsidade do Primeiro Ministro segundo Jorge Carlos Fonseca", A semana, ano III, n° 143 (1994), p. 7
  • Torcato Sepúlveda, "Entrevista com Jorge Fonseca, ex-ministro cabo-verdiano dos Negócios estrangeiros e fundador do PCD: não se pode romper o tecido social", Notícias áfricanas, n° 75 (05/09/1994), p. 5-6
  • Eduíno Santos, "Jorge Fonseca e Teófilo Figueiredo trocam mimos", Notícias, ano VI, n° 70 (1993), p. 19
  • José Vicente Lopes, "A queda de Jorge Fonseca: remodelação em Cabo Verde", Notícias áfricanas, n° 3 (22/03/1993), p. 14
  • Filipe Correia de Sá, "O silêncio segundo Jorge Carlos Fonseca", n/a

Crimes...

(1986)

Porcos em delírio

(1998)

Um novo processo...

(2003)

A execução das sanções...

(2004)

Cabo Verde,
3 decadas...

(2007)

Magistratura de Influência

(2015)

O albergue espanhol

(2017)

Magistratura de influência

(2018)

A sedutora tinta...

(2019)