Luís ROMANO
(1922 - 2010)

Biographie


Luís Romano de Madeira Melo est né le 6 octobre 1922 à Ponta do Sol, sur l'île de Santo Antão, et meurt le 22 janvier 2010, à Natal, au Brésil, à l'âge de 87 ans.
Fils de Maria Ernestina Walmon Madeira (1897-1978) et de Rafael Martinho Nobre de Melo (1887-1970), il épouse Maria José Fermino (27/07/1921 - 07/11/2010), fille de Maria do Carmo Fermino et de José Dias Correia, née à Ribeira Brava, sur l'île de São Nicolau. Luís Romano est aussi le frère de Teobaldo Vírginio.
Après trois années de lycée, il exerce plusieurs professions à la suite, puis revient aux études tout en continuant de travailler.
La suite est incertaine. D'après Manuel Ferreira, Luís Romano fait alors le tour des îles, puis se rend à Dakar, puis au Maroc où il se serait spécialisé dans les techniques de production de sel, tout en suivant un cursus d'ingérnieur mécanique et d'électricité. Au bout de 14 ans, il aurait décidé de partir pour le Brésil. Sachant qu'il obtient le droit de résider au Brésil auprès du Consulat du Brésil de Casablanca, le 27 janvier 1960, cela voudrait dire qu'il a quitté le Cap Vert aux alentours de 1944, âgé d'une vingtaine d'année.
Une autre version, plus idéalisée semble-t-il, que l'on retrouve dans les biographies de Luís Romano, précise qu'il adhère à la fin des années 1950 aux idées du PAIGC, dont il devient un des membres dirigeants, mais poursuivi par la PIDE, il fui en passant par le Maroc et de là, il part pour le Brésil.
Quoiqu'il en soit, il s'installe bien, avec sa femme, à Natal, capitale de l'État du Rio Grande do Norte, au nord est du Brésil, au début des années 1960, ville dans laquelle il passera le reste de sa vie, à l'exception, daprès certains, d'une brève parenthèse à Praia, à la suite de l'indépendance du Cap Vert en 1975.
Il a également été consul honoraire du Cap Vert à Rio de Janeiro.
Là, il s'attache à l'écriture et à l'étude de la littérature aussi bien capverdienne que brésilienne.

Un documentaire en cours de réalisation est prévu pour 2022 (web).

Il occupe le siège n° 26 des Patronos / Imortais da Academia Cabo-verdiana de Letras, fondée en 2013.

haut

Oeuvres littéraires


Poète, romancier, essaiste, critique, historien, ethnologue, etc., il écrit aussi bien en portugais qu'en créole de Santo Antão, son île natale. C'est d'ailleurs un des rares écrivains capverdiens de l'époque qui écrit en créole, aussi bien en fiction qu'en poésie.
Fait étonnant, c'est à 28 ans, en 1940, qu'il achève son oeuvre maîtresse, Famintos: romance de um povo. Immédiatement interdit par la censure, le livre ne sort qu'en 1962, au Brésil. En 1973, il publie un autre ouvrage devenu célèbre, un recueil de poèmes intitulé Negrume (Lzimparin).
Luís Romano collabore a de nombreux périodiques Cimboa, Novo jornal Cabo Verde, Terra nova, Unidade e luta, Fragmentos, Djã d'Sal, Ekhos do Paul, Revista brasiliense, Arquivo do Instituto de antropologia da Universidade do Rio Grande do Norte, Artiletra, Arquipélago, Voz di povo, Ponto e virgula, África, Nós vida, Cultura  (Luanda), Vértice, Ocidente...
Avec Artur Vieira, il fonde la revue Morabeza  (Rio de Janeiro).
Il reste un des plus éminents spécialistes de la littérature et de la culture capverdienne.

haut

D'après les mentions imprimées au revers de la page de titre de l'édtion des Famintos  de 1975, le livre de Luís Romano aurait connu des traductions en anglais, en français, en italien et partiellement en russe. Nous n'en avons trouvé aucune trace, ce qui, bien entendu, ne signifie nullement que ces éditions n'existent pas!

VIDA

A crioula que meus olhos beijaram a medo
perdeu-se na confusão de um porto francês

Ela sorria continuamente, erguendo no seu riso uma cançao extraordinaria.

Não foi um romance de amor
nem mesmo um pequeno segredo entre ambos.

Somente, quando Ela falava ao pé de mim, eu sentia:
um aprazivel devaneio
pela maravilha escultural de uma Mulher Perfeita.

Depois,
a Vida separando Nós-Dois,
a confusão, os ruídos, os braços agitando-se
e o vapor levando para outros mares,
outros portos,
a graça, o mistério, o perfume e os cantares
da crioula que meus olhos beijaram a medo
no tombadilho daquele vapor francês.

Clima, 1963


MÓÓÓIA

Mar bravo de vagas azuis
Mar bravo de sulcos brancos

Luzes baças
Algazarra da marinhagem bêbada

Como sombra envolvente
a terra e seu mistério

Cintilações gritos: mais um barco sem norte
no berço do mar servindo-lhe de cemitério

MÓÓÓIA

Ecos deslizando-se pelos vales da ilha
infiltrando-se nas montanhas

Móia-grande cheia de promessas

E o povo faminto em êxodo
Povo infeliz que o Atlântico bafeja na sua ironia
Colmeias de aventureiros formando-se alastrando-se como torrentes
enquanto as vagas compõem uma canção de embalar saturada de morte

E no meio de descampado
gente errante descendo das encostas
mocratas vendendo a carne a alto preço
crianças vadias
casas de orgias
marinheiros trocando obscenidades
construindo cubatas apossando-se de cavernas a esmo
erguendo uma cidade imunda
onde o vicio a fome os roubos se enovelam na luta pela vida

Mar bravo de sulcos brancos
Mar bravo de vagas azuis

Tudo se desmantelando lentamente

E o Fantasma-Da-Lei horrendo como um esqueleto desdentado
erguendo-se a cada instante
apavorando com seu brado
defendendo sua presa do povo infrene e faminto

Mar calmo

Vagas trazendo ás praias alimentos apodrecidos
tangendo uma canção fúnebre
para tantos que Aí ficaram
estorcendo-se na areia salpicada de doenças-de-mundo
de pragas e estertores.

Clima, 1963

haut

Bibliographie


Oeuvres

  • Comentários literoverdianos (1960-2002), Praia: ACL Editora, 2017, 358 p.
  • L. R. / Maria Helena Sato, António Januário Leite - O poeta além do vale, São Paulo: Editora Komedi, 2005, 208 p.
  • Kapverde. Civilização e cultura, Rio de Janeiro: Minerva Press do Brasil, 2001, n/a p.
  • Jaime de Figueiredo: nossa gratidão!, Praia: Movimento pró-cultura, 1993, pag. var.
  • Kriolanda - Estigmas, Mindelo: ed. do autor, 1999, p. n/a
  • Ilha: contos luso-cabo-verdeanos de temática Europáfrica + Brasilamérica, Mindelo: Ilheu Editora, 1991, 248 p., 21 cm. (coll. Estóreas, n° 4)
  • Teknosal: tecnica de fabricaçao salineira de 1947 a 1980, Mossoró (Brasil): ESAM - Fundação Guimaraes Duque, 1990, 187 p., 23 cm. (coll. Mossoroense, série C, n° 500)
  • Canto a Cabo Verde de David Hopffer Almada, Praia: Movimento pró-cultura, 1988, pag. var.
  • Cem anos de literatura cabo-verdiana, São Paulo: Universidade de São Paulo, 1985, n/a p.
  • Famintos, Lisboa: Ulmeiro, 1983, 369 p., 21 cm. (coll. Biblioteca literária Ulmeiro, n° 3)
  • Perfil de Eugénio Tavares: pesquisas e antologia, Ilha Brava: edição do autor, 1981, 204 p.
  • A poesia viva de Cabo Verde, Rio de Janeiro: Editora Vozes, 1976, 454 p.
  • A língua cabo-verdiana, Torino: s.n., 1976, pag. var.
  • Famintos, Lisboa: Nova Aurora, 1975, 341 p., 18 cm. (coll. Literatura nova, n° 2)
  • Negrume (Lzimparin)  (contos cabo-verdianos), Rio de Janeiro: Editora Leitura S.A., 1973, 222 p., 22 cm.
  • Cabo Verde: renascença de uma civilização no Atlântico médio, Lisboa: Revista Ocidente, 1970, 210 p., 25 cm.
  • Cabo Verde: renascença de uma civilização no Atlântico médio, Lisboa: Editorial Império, 1967, 198 p., 25 cm.
  • Actas da conferência proferida na Academia Norte Rio-Grandense de Letras e na Faculdade de ciências económicas, Mossoró (Brasil): Prefeitura municipal, 1966, 33 p.
  • Aspectos dos sal na história e na antropologia cultural atravès dos tempos, Mossoró (Brasil): Secretaria de educação e cultura, 1965, 18 p.
  • Clima: poemas, Recife: s.n., 1963, 307 p.
  • Famintos: romance de um povo, Natal: Editora Leitura S.A., 1962, 337 p., 19 cm.

Périodiques

  • "Gabriel Mariano", África: revista do Centro de estudos africanos  ​(São Paulo), n° 24-26 (2009), p. 375-378  (web)
  • "Guiné-Bissau e Cabo Verde - Uma luta, um partido, dois países, por Aristides Pereira. 2a ed. Lisboa: Editorial Notícias, 2002" (recensão crítica), África: revista do Centro de estuos áfricanos  ​(São Paulo), n° 27-28 (2007), p. 225-239  (web)
  • "Gabriel Mariano", Latitudes, n° 16 (12/2002), p. 52  (web)
  • "Gabriel Mariano", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XI, n° 47-48 (10-11/2002), p. 22
  • "Perfil de Eugénio Tavares", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano IX, n° 34-35 (06-07/2000), p. 3
  • "Nôs dignidade", Cimboa: revista cabo-verdiana de letras, artes e estudos, ano VII, n° 7 (1999), p. 14-17
  • "Esboço histórico literoverdeano", Cimboa: revista cabo-verdiana de letras, artes e estudos, ano V, n° 5 (1998), p. 3-10
  • "Situações: um comentário", Cimboa: revista cabo-verdiana de letras, artes e estudos, ano II (1997), p. 21
  • "Zé Luís Hopffer: um aglotinador cultural de Fragmentos", Novo jornal Cabo Verde, ano 1, n° 93 (1994), p. 6
  • "Jaime de Figueiredo, nossa gratidão!", Fragmentos  (Praia), n° 9-19 (03/1993), p. n/a
  • "Crónicas do campo: I-II impasse da reforma agrária no Arquipélago cabo-verdiano", Artiletra: jornal de intercâmbio cultural, ano III, n° 12-13 (1993), p. 13
  • Artiletra: jornal de intercâmbio cultural, ano III, n° 7-8 (1993):
  1. "O talento literário de Maria Margarida Mascarenhas", p. 4
  2. "Tenpu di tenpu: adivinhas eurafroverdianas", p. 5
  • "Artiletra", Artiletra: jornal de intercâmbio cultural, ano II, n° 5/6 (1992), p. 7
  • "Acervo semântico de ilha", Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano VI, n° 19 (1992), p. 16-20
  • "Encontro com escritores cabo-verdianos", Novo jornal Cabo Verde, ano 0, n° 1 (1992), p. 7
  • Arquipélago: revista de opiniõ e cultura, ano VI, n° 16 (1991):
  1. "A morna: uma eclosão de lamentos melódios de várias etnias ilhadas", p. 18
  2. "Hipótese de vestígios moçarabes no Arquipélago cabo-verdiano", p. 19-20
  • Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano VI, n° 15 (1991):
  1. "Versão francesa do romance Chiquinho de Baltasar Lopes na tradução de Michel Laban", p. 6
  2. "Germano Almeida: uma revelação", p. 7
  • "Matilde: uma viagem encantada", Voz di povo, ano XVI, n° 1'044 (1991), p. 9
  • "Versão francesa do romance Chiquinho de Baltasar Lopes na tradução de Michel Laban", Pré-textos: ideas e cultura, n° 0 (1991), p. 8
  • "Koladera: exaltação popular", Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano V, n° 13 (1990), p. 13
  • Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano IV, n° 11 (05/1989):
  1. "Prosa nativa caboverdiana", p. 24
  2. "Pasaport Kabverd", p. 25
  3. "The Integral Mothers", p. 40
  4. "Life", p. 41
  • "Comentário ao livro Aulil", Djà d'Sal: revista de estudos, formação e informação, ano I, n° 1 (1989), p. 14-16
  • Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano III, n° 10 (12/1988):
  1. "Capeverdian", p. 21
  2. "Islands", p. 22
  3. "Ilhas, estorias caboverdianas: Introdução - Briosa - Sanababitcha", p. 46-51
  • "Apreciações de Luís Romano: João Rodrigues - Estranho visitantes - Até que...", Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano III, n° 9 (05/1988), p. 30-31
  • "Prosa nativa cabo-verdiana", Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano IV, n° 11 (1987), p. 24
  • "Tradições orais do folclore infantil cabo-verdiano", Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano III, n° 8 (1987), p. 30-34 
  • "Tradições orais como via de conhecimento histórico-cultural das ilhas de Cabo Verde: pesquisa", Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano II, n° 7 (06/1987), p. 33-36
  • Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano II, n° 6 (02/1987):
  1. "Nhánha", p. 6-7
  2. "Tigadjoma", p. 8-9
  3. "O Eurafroverdiano", p. 20-21
  • "Perfil de Eugénio Tavares", Ponto e virgula: revista de intercâmbio cultural  ​(Mindelo), n° 16 (01-07/1986), p. 2-8; rééditionArtiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XX, n° 122-123 (05-06/2014), p. 6
  • "Cem anos de literatura cabo-verdiana (1880-1980)", África: revista do Centro de estuos áfricanos  ​(São Paulo), n° 8 (1985), p. 25-49  (web)
  • "Cem anos de literatura cabo-verdiana (1880-1980): sinopse", África: revista do Centro de estuos áfricanos  (São Paulo), n° 7 (1984), p. 38-56  (web)
  • "O povo e alguma das suas crenças em Cavo Verde", Ponto e virgula: revista de intercâmbio cultural, n° 10-11 (1984), p. 48-51
  • "Presençao de Pedro Cardoso", Voz di povo, ano VII, n° 352 (1983), p. I
  • "Teatro-julgamento: Maria Ka Ta N'Tendi Nada", Voz di povo, ano VII, n° 340 (1983), p. 5
  • L.R. / Manuel Veiga / Djubril Niane / Osvaldo Osório, "Seminário sobre metodologia e técnica de recolha das tradições orais: um passo importante na aquisição de conhecimentos para a salvaguarda do nosso património cultural", Voz di povo, ano VII, n° 337 (1983), p. 9
  • "Presença de Cabo Verde, 1883-1942", Ponto e virgula: revista de intercâmbio cultural, n° 4 (1983), p. 7-13
  • "Reflexões sobre a arte em Cabo Verde", Ponto e virgula: revista de intercâmbio cultural, n° 1 (1983), p. 22-23
  • "Crónicas cabo-verdianas", Voz di povo, ano VI, n° 283 (1981), p. 9
  • "Pedro Cardoso: poeta nacionalista", Voz di povo, ano VI, n° 272 (1981), p. 9
  • "Literatura: o poeta António Januário Leite", Voz di povo, ano VI, n° 271 (1981), p. 10
  • "Jorge Barbosa: um poeta-sacrificado", Voz di povo, ano VI, n° 266 (07/1981), p. 8 / 12 (?)
  • "Obras de Eugénio Tavares são fonte da nossa inspiração litero-musical", Voz di povo, ano V, n° 256 (1981), p. 8
  • "Djonsinho Cabral: nova atitude na música", Voz di povo, ano V, n° 254 (1981), p. 9
  • "Nôs ermô Jurad: Sérgio Frusoni",  África: revista do Centro de estuos áfricanos  (São Paulo), n° 4 (1981), p. 111-114  (web)
  • "De nos gente: poemas de Bloqueio (e de amor e ausencia)", Voz di povo, ano V, n° 249 (1980), p. 8
  • "Literatura: de nos gente, Oliveira Barros", Voz di povo, ano V, n° 248 (1980), p. 7
  • "Kordá Kauberdi na apoteose da Tabanca", Caderno Kordá Kauberdi, n° 2 (1980), p. 27-30
  • "Atualidade cultural de Cabo Verde na literatura áfricana", África: revista do Centro de estuos áfricanos  (São Paulo), n° 2 (1979), p. 89-94  (web)
  • "O papel do escritor na afirmação e desenvolvimento da língua nacional", Voz di povo, ano IV, n° 163 (1978), p. 9
  • "O papel do escritor na afirmação e desenvolvimento da língua nacional", Voz di povo, ano IV, n° 162 (1978), p. 9
  • "Luta de nôs letrad", Voz di povo, ano I, n° 40 (05/1976), p. 9
  • "Amilcar Cabral: a poesia de Cabo Verde", Voz di povo, ano I, n° 37 (1976), p. 9
  • "Escritores cabo-verdianos: Sérgio Frusoni", Novo jornal de Cabo Verde: orgão do Departamento de comunicação social, ano I, n° 44 (1975), p. 2-3
  • "Tradições populares cabo-verdianas", Novo jornal de Cabo Verde: orgão do Departamento de comunicação social, ano I, n° 43 (1975), p. 5
  • "O cancioneiro cabo-verdiano", Novo jornal de Cabo Verde: orgão do Departamento de comunicação social, ano I, n° 42 (1975), p. 5
  • "Introdução à vanguarda poético-literária cabo-verdiana", Novo jornal de Cabo Verde: orgão do Departamento de comunicação social, ano I, n° 41 (1975), p. 5
  • "A língua cabo-verdiana", Novo jornal de Cabo Verde: orgão do Departamento de comunicação social, ano I, n° 40 (1975), p. 5
  • "O momento caboverdeano", Novo jornal de Cabo Verde: orgão do Gabinete de informação do Governo, ano I, n° 11 (1974), p. 1-2
  • "A bolandeira", Ocidente, n° 79 (1970), p. 18-26
  • Ocidente, n° 75 (1968):
  1.  "A mensagem de um livro: A bagaceira", p. 71-83
  2. "Moderno ficcionista paraibano", p. 244-248
  • "Literatura cabo-verdiana", Ocidente  (Lisboa), n° 70 (1966), p. 105-116
  • "Aspectos dos sal na história e na antropologia cultural atravès dos tempos", Ocidente, n° 68 (1965), p. 149-158
  • "Cabo Verde, elo antropológico entre a África e o Brasil", Cabo Verde: boletim documental e de cultura, vol. XV, n° 19-21 / 175-177 (04-06/1964), p. 27-39
  • "Cabo Verde, elo antropológico entre a África e o Brasil", Arquivos do Instituto de antropologia da URN, n° n/a (1964), p. n/a
  • "Fixação do judeu na África", Ocidente, n° 67 (1964), p. 69-77
  • "Cabo Verde, elo antropológico entre a África e o Brasil?", Ocidente, n° 66 (1964), p. 177-189
  • "O caso cabo-verdiano na moderna literatura", Vértice  (Lisboa), n° 131-132 (08-09/1954), p. n/a

Recueils collectifs - Anthologies - Autres

  • Erica Antunes Pereira / Maria de Fátima Fernandes / Simone Caputo Gomes (ed.), Cabo Verde, 100 poemas escolhidos, Praia: Ed. Pedro Cardoso, 2016:
  1. "Móóóia", p. 60-61
  2. "Salinas", p. 62-63
  • "Testemunho", in In memoriam João Lopes, Praia: IBNL, 2007, p. n/a
  • "Prefacio", in Artur Vieira, Artur Vieira, Brasil: ed. do autor, 2005, p. n/a
  • "Nos Fidjutxôn", in Kabverd: civilização e cultura, Rio de Janeiro: Minerva Press do Brasil, 2000, p. n/a
  • Carmen Lúcia Tindó Ribeiro Secco (ed.), Antologia do mar na poesia africana de língua portuguesa do século XX - vol. II: Cap Vert, Rio de Janeiro: UFRJ, 1999:
  1. "Símbolo", p. 105
  2. "Móóóia", p. 105-107
  • Luís Romano (ed.), Contravento. Antologia bilingue de poesia cabo-verdiana, Taunton (MA / USA): Atlantis Publishers, 1982, XLV-329 p.
  1. "A língua cabo-verdiana", p. IX-XX
  2. "Procediment da cada letrad n'afirmaçõ e desenvolviment de sê língua de naçõ pertencid / Papel do escritor na afirmação e desenvolvimento da língua nacional", p. XXI-XLVI
  3. "Me-preta / Mãe preta", p. 218-219
  4. "Nêgrês / Negreiros", p. 220-223
  5. "Ermõ branc / Irmão branco", p. 224-227
  6. "Nha hora / Minha hora", p. 228-229
  • "Prefacio", in João Rodrigues, Casas e casinhotos: novela cabo-verdiana (memórias de uma aldeia), São Vicente: Gráfica do Mindelo, 1981, p. n/a
  • "Contratados", in Textos africanos de expressão portuguesa, Luanda: Ministério da Educação, [198-], p. 89-93
  • Manuel Ferreira (ed.), No reino de Caliban: antologia panorãmica da poesia africana de expressão portuguesa  (vol. I: Cabo Verde / Guinée-Bissau), Lisboa: Seara Nova, 1975 (3a ed. 1988):
  1. "Simbolo", p. 275; 1988, p. 269
  2. "Vida", p. 275-276; 1988, p. 269-270
  3. "Devaneio", p. 276-277; 1988, p. 270-271
  4. "Negros", p. 277-278; 1988, p. 271-272
  5. "Móóóia", p. 278-279; 1988, p. 272-273
  6. "Irmão branco", p. 279-280; 1988, p. 273-274
  7. "Tê lôg", p. 303; 1988, p. 297
  • "Contratados", in Mário de Andrade (ed.), Literatura afrícana de expressão portuguesa, vol. 2: prosa, Alger (Algérie): n/a, 1968 (reprint: Lendeln: Kraus Reprint, 1970), p. 140-151
Traductions
  • (RU) Helena Riausova, "Pomah", Raízes, ano V, n° 17-20 (1981), p. 48-56: "trad. Luís Romano - traduzido do original russo" 

haut

Etudes critiques


  • Ramon Ribeiro, "A travessia literária de Luís Romano", Tribuna do Norte  (Natal), 06/02/2018, en ligne  (web)
  • Maria Luiza Carvalho de Barros Paraense, Na raiz, a fome: uma leitura dos romances  Vidas secas de Graciliano Ramos, Os flagelados do vento leste de Manuel Lopes e  Famintos de Luís Romano  (tese de doutorado), São Paulo: Universidade de São Paulo, 2017, 187 p.  (web)
  • António Chantre Neves, "Comentários literoverdianos, livro póstumo de Luís Romano", A nação: jornal independente, ano X, n° 536 (07/12/2017), p. E2
  • Eidson Miguel da Silva Marcos, "De Romano a Vicente: identidades em processo na narrativa cabo-verdiana dos séculos XX e XXI", Anais do Congresso africanidades e brasilidades, n° 2 (2015), n.p.  (web)
  • Eidson Miguel da Silva Marcos / Amarino Oliveira de Queiroz, "Interfaces literárias: Cabo Verde - Rio Grande do Norte: ficcionalização da História em Famintos  de Luís Romano e Os brutos  de José Bezerra Gomes", Revista Rascunhos culturais, vol. IV, n° 7 (01-06/2013), p. 75-88  (web)
  • João Luiz Xavier Castaldi, Representações da miséria:  A gente pobre de Dostoiévski e os  Famintos de Luís Romano  (dissertação de mestrado), São Paulo: Universidade de São Paulo, 2011, 151 p.  (web)
  • "Luís Romano morreu hoje no Brasil", A semana, n° n/a (22/06/2010), p. n/a
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XIII, n° 75 (01/2006):
  1. "Michel Laban entrevista Luís Romano – Natal, Brasil, Abril de 1987 (Cabo Verde encontro com escritores)", p. 8 + 17-18
  2. Francisco Fragoso, "Luís Romano: um verdadeiro senhor letrado do nosso país-arquipélago", p. 10 + 20
  3. Veladimir Romano, "Luís Romano: a essência da caboverdianidade", p. 15 + 20
  4. Veladimir Romano, "Bibliografia de Luís Romano, p. 15
  • Alírio Dias de Pina, "Luís Romano lança kriolada", A semana, ano VIII, n° 393 (1999), p. n/a
  • João Lopes Filho, "Conversando com Luís Romano", Ponto e virgula: revista de intercâmbio cultural, n° 13 (1985), p. 35-36
  • Luís Romano, Famintos, Lisboa: Ulmeiro, 1984:
  1. Pierrette Chalender / Gérard Chalender, "Estrutura tipológica e alcance político de Famintos  de Luís Romano", p. n/a
  2. Helena Riausova, "Prefácio", p. n/a
  • J.T., "Pedro Cardoso visto por Luís Romano em recolha e estudo das suas obras", Voz di povo, ano VII, n° 353 (1983), p. 4
  • L.R. / Manuel Ferreira, Entrevista sobre  Cabo Verde: renascença de uma civilização no Atlântico médio, Lisboa: Editorial Império, (196-), 48-56 p.

Clima: poemas

(1963)

Negrume...

(1973)

Famintos...

(1975)

Famintos...

(1983)

Estrelinha...

(1998)

António Januário Leite ...

(2005)