Eugénio de Paula TAVARES
(1867 - 1930)

Biographie


Eugénio de Paula Tavares est né le 18 octobre 1867  (certains, comme la Bibliothèque du Congrès à Washington, parlent du 5 novembre, en réalité date du baptême), sur l'île de Brava, et meurt le 1er juillet 1930, sur la même île.
Fils d'Eugénia Nozolini Roiz (1816ca-1867) et de Francisco de Paula Tavares (1827-ante 1904), il épouse Guiomar Leça.
Il est tout à la fois poète-écrivain, compositeur et journaliste.

L'archipel, en hommage à son enfant prodigue, a fait figurer son portrait sur l'ancien billet de 2'000 escudos capverdiens, ainsi que sur un timbre homage de 14 escudos.
Par ailleurs, sa ville natale lui a hérigé une statue commémorative en pied en 2001.

Il occupe le siège n° 09 des Patronos / Imortais da Academia Cabo-verdiana de Letras, fondée en 2013.

A noter qu'un site internet incontournable est dédié à l'auteur et à son oeuvre: eugeniotavares.org, sous l'égide de la Fundaçõ Eugénio Tavares fondée en 1995, auquel on ajoutera le fort bien documenté site barrosbrito.com, auquel nous empruntons plusieurs photographies.

haut

wikipedia

(1900)
​barrosbrito.com

(1912)
​barrosbrito.com

(1930)
​barrosbrito.com

billet de 2'000 escudos
(retiré de la circulation en 2017)

Statue commémorative 
(Brava - 2001)

timbre homage

Oeuvres littéraires

 
En fait, Eugénio Tavares est tout simplement LE écrivain capverdien (on excusera cette faute de français) par excellence, à l'image de ce qu'est Césaria Evora pour la musique.
Sa production n'est pas aussi dense que d'autres auteurs capverdiens, mais l'influence que Tavares a exercé durant 30 ans sur la culture de l'archipel est totale.
Outre les célèbres mornas ou poèmes, Eugénio Tavares s'intéresse aussi au théâtre ou à la langue créole.
Il est aussi rédacteur de A alvorada, journal publié à New Bedford, aux Etats-Unis, entre 1900 et 1917, et collabore ou dirige de très nombreux périodiques, O independente, A voz de Cabo Verde, Revista de Cabo Verde, O manduco, etc., ainsi qu'aux Almanach luso-africano, Almanach de lembranças luso-brasileiro et Almanaque das senhoras.
On trouvera une liste plus complète sur le site eugeniotavares.org.

Son oeuvre complet a été édité par Félix Monteiro, en trois volumes, entre 1996 et 1999. Le tout a été réédité en 3 volumes en 2017.

haut

​(1996)
(1997)
​(1999)
​(2017)
​(2017)
​(2017)

NOVO POETA / Luis Medina e Vasconcelos

Os versos, que adiante se seguem, são uma eloquente promessa. Os leitores julgarão: escreveu-os um rapaz de 15 anos quando muito, possuindo apenas o a b c da instrução primária e vivendo numa das ilhas de Cabo Verde onde escasseiam esses elementos que, tanta vez, em outras partes do mundo civilizado, iluminam uma inteligência, dando-lhe o que a pequenez da escola lhe recusou: o convívio com homens ilustres, a frequência ou ainda o leve contacto com uma sociedade culta e erudita.
Eugénio de Paula Tavares é um talento que se perde, ou que não medra como deveria, no acanhado ambiente do viver poético sim, porém demasiadamente aldeão, da ilha Brava.
Órfão de pai e mãe desde muito criança, tomou-o para casa sua madrinha, que lhe tem servido sempre de segunda mãe, dispensando-lhe todos os afagos e carícas que os pais lhe prodigaliariam. É à sua protectora que ele dedica os versos, dizendo, em expressão familiar a badinha, porque assim se habituou a chamar a madrinha desde o balbuciar infantil.
São, pois, uma eloquente promessa, repito, os seguintes versos. Há neles algumas imperfeições e durezas, que se poderiam tirar sem ferir o pensamento, mas se a forma peca aqui a ali, a idea é bem conduzida e revela um poeta se se lhe proporcionarem condições para o estudo e quiser aproveitá-las:
A Badinha
Um dia cairá em teu níveu seio
desmaiado botão,
que duma linda roseira arrancará
violento tufão.

As tuas carícias deram-lhe a vida,
e o anélito teu
foi o bálsamo que deu força, alento
ao débil peito seu!

E a carmínea bonina trasnformou-se
rapidamente em flor,
que se esforça por derramar a jornos
reconhecido odor!

O imaculado anjo da caridade,
que do Olimpo desceu,
és tu! E a flor, que, meiga e carinhosa,
embalaste, sou eu!
Eugénio de Paula Tavares

Fui exagerado na apreciação?

​Luís Medina e Vasconcelos, Almanach de lembranças luso-brasileiro para anno de 1885, Lisboa, 1884, p. 423-424

*****

A FORCA DE CRETCHEU (morna)

Ca tem nada na es bida
Mas grande que amor
Se Deus ca tem medida
Amor inda é maior.
Maior que mar, que céu
Mas, entre tudo cretcheu
De meu inda é maior

Cretcheu más sabe,
É quel que é di meu
Ele é que é tchabe
Que abrim nha céu.
Cretcheu más sabe
É quel qui crem
Ai sim perdel
Morte dja bem  

Ó força de chetcheu,
Que abrim nha asa em flôr
Dixam bá alcança céu
Pa'n bá odja Nôs Senhor
Pa'n bá pedil semente
De amor cuma ês di meu
Pa'n bem dá tudo djente
Pa tudo bá conché céu

haut


CANCAO AO MAR (MAR ETERNO - morna)


Oh mar eterno sem fundo
Sem fim
Oh mar de túrbidas vagas
Oh mar!
De ti e das bocas do mundo
a mim
Só me vem dores e pragas
Oh mar!

Que mal te fiz oh mar, oh mar
Que ao ver-me pões-te a arfar, a arfar
Quebrando as ondas tuas
De encontro às rochas nuas

Suspende a zanga um momento
Escuta
A voz do meu sofrimento
Na luta
Que o amor acende em meu peito
Desfeito
De tanto amar e penar
Oh mar!

Que até parece oh mar, oh mar
Um coração a arfar, a arfar
Em ondas pelas fráguas
Quebrando as suas máguas
Dá-me notícias do meu amor,
Amor
Que um dia os ventos do céu
Oh dor!
Nos seus braços furiosos
Levaram
E ao meu sorriso, invejosos,
Roubaram

Não mais voltou ao lar, ao lar
Não mais o vi oh mar, oh mar
Mar fria sepultura
Desta minha alma escura

Roubaste-me a luz querida
Do amor,
E me deixaste sem vida
No horror
Oh alma da tempestade
Amansa,
Não me leves a saudade
E a esperança

Que esta saudade, é quem, é quem
Me ampara tão fiel, fiel
É como a doce mãe
Suavíssima e cruel

Mas máguas desta aflição
Que agita
Meu infeliz coração,
Bendita,
Bendita seja a esperança
Que ainda
Lá me promete a bonança
Tão linda!

Bibliographie


Oeuvres
Posthumes

  • Eugénio Tavares - pelos jornais..., Praia: IBNL, 10/2017 (2a ed.), 242 p. (recolha, organização e prefácio de Félix Monteiro / coll. Os classicos)
  • Eugénio Tavares - Viagens, tormentas, cartas postais, Praia: IBNL, 10/2017 (2a ed.), 314 p. (recolha, organização e notas biográficas de Félix Monteiro / prefácio de Manuela Ernestina Monteiro / coll. Os classicos)
  • Eugénio Tavares - Poesia, contos, teatro, Praia: IBNL, 10/2017 (2a ed.), 234 p. (recolha de Félix Monteiro / Organização e introdução de Isabel Lobo / coll. Os classicos)
  • (IT) Mornas: cantigas crioulas / Mornas: canzoni creole, Napoli: Guida, 2005, 174 p., 23 cm. (trad. Maria da Graça Gomes de Pina / coll. Identità sonore, n° 5)
  • Eugénio Tavares: viagens, tormentas, cartas e postais, Praia / Mindelo: Instituto promoção cultural (IPC), 11/1999, 338 p.  (sous dir. Félix Monteiro / coll. Documentos)
  • Eugénio Tavares: pelos jornais..., Praia: ICLD, 12/1997, 230 p. (sous dir. Félix Monteiro / coll. Documentos)
  • Eugénio Tavares: Poesia, contos, teatro, Praia: ICL, 1996, 200 p., 25 cm. (sous dir. Félix Monteiro / coll. Documentos)
  • Músicas de Cabo Verde: mornas, (São Vicente): s.n., 1987, 55 p., 21 cm.
  • Mornas: cantigas crioulas, Luanda: Liga dos amigos de Cabo Verde, 1969, 95 p., 24 cm.
  • Mornas cantigas crioulas, Lisboa: J. Rodrigues e Ca Editores, 1932, 108 p., 20 cm.
De son vivant
  • Noli me tangere: carta a D. Alexandre d'Almeida sobre a emigração caboverdeana para os Estados Unidos da América, Praia: Imprensa nacional de Cabo Verde, 1918, 15 p., 21 cm.
  • O mal do amor: corôa de espinhos, Praia: Imprensa nacional, 1916, 16 p., 19 cm.
  • Amor que salva: santificação do beijo, Praia: Imprensa nacional, 1916, 15 p., 19 cm.
  • Ao povo caboverdeano, Lisboa: Typografia E. da Cunha e Sá, 1910, 16 p.
  • Notas sobre uma fabuloso alcance de 16 contos de reis na recebedoria do concelho da ilha Brava de Cabo Verde, Lisboa: Tip. Libanio da Silva, 1900, 55 p., 23 cm.
A VERIFIER
  • No mar, Praia: Movimento pró-cultura, 1993, n/a p.
  • Na cantero de nha peto..., Praia: Movimento pró-cultura, 1993, n/a p.

Périodiques

Posthumes
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXVII, n° 145-146 (10-11/2017):
  1. "Verberando", p. 21-22
  2. "De baqueta", p. 22
  • ​Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXV, n° 140 (12/2016):
  1. "Parabéns (ao padre André Fermino)", p. 14
  2. "Uma imagem de Maeterlinck", p. 14
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XX, n° 122-123 (05-06/2014): numéro spécial Eugénio Tavares
  1. "Paisagem", p. 3
  2. "Kate", p. 3
  3. "Torturas", p. 3
  4. "Esperança", p. 3
  5. "Alvorecer", p. 3
  6. "Regresso", p. 3
  7. "Soneto", p. 3
  8. "À memória de Luís Medina (in Almanaque de lembranças luso-brasileiro, 1895)", p. 3
  9. "Tormentas", p. 4
  10. "Acróstico", p. 5
  11. "Fadinhos", p. 5
  12. "Sempre a mim", p. 5
  13. "Carta-prefácio (in Ecos d’alma de João José Nunes)", p. 7
  14. "Las Palmas-Bremen (extracto de Em viagem)", p. 8
  15. "Palavras amargas", p. 10-11
  16. "Os miseraveis", p. 13
  17. "Quando depois da viagem tormentosa", p. 13
  18. "Pai", p. 13
  19. "O meu perdão", p. 13
  20. "O fabuloso alcance", p. 19-26
  21. "Cartas de Eugénio Tavares a Henrique Vilhena", p. 27
  22. "Armas (in O correio português)", p. 29
  23. "Manilhas", p. 35
    "Credo", p. 35
  24. "Escrevi à minha amada", p. 35
  25. "Cantigas", p. 35
  26. "Fala o coração do compadre Chico, em Outubro de 1900", p. 35
  27. "A guitarra", p. 35
  28. "O riso", p. 40
  29. "Pelo Carnaval", p. 40
  30. "Noite infinda", p. 40
  31. "Noite consoladora", p. 40
  • "Esperança", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXII, n° 114-115 (01-03/2013), p. 3
  • "Trad. do poema Endechas a Bárbara Escrava  de Luís Vaz de Camões", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XX, n° 111 (12/2011 - 01/2012), p. 12
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano IX, n° 34-35 (06-07/2000):
  1. "Águias das cumiadas da História (Brava, 12/12/1924)", p. 9
  2. "Cartas de femília (in A voz de Cabo Verde, n° 191 (12/04/1915)", p. 11
  3. "A badinha", p. 11
  4. "Despedida", p. 11
  5. "Crónicas tristes (in A voz de Cabo Verde, n° 214 (1915))", p. 14
  6. "Cartas de Eugénio Tavares", p. 17
  7. "A Wilson (01/05/1922)", p. 19
  8. "Notas tonificantes", p. 21
  9. "Mornas: Força de crecheu / Mal de amor / Morna de bejiça / Morna de Nha Santa Ana / Contam, Nha Crecheu", p. 22
  10. "Poemas: Deus / Daria a vida / Não me pertence / Ânimo rijo", p. 24
  11. "O ultimo número: Eugénio Tavares: À mesa, um dia, estavam dois doutores / A emigração / Osório! Tu tens pélo na forçura! / Ja não temos mais para onde apelar", p. 25
  12. "Minha casa", p. 27
  13. "A venda das colónias", p. 28
  14. "Teoria insustentável", p. 28
  15. P. Direito, "A ceia da parelha", p. 28
  16. "Palavras amargas", p. 30 + 32
  17. "José Rodrigues Aleixo", p. 31
  18. "Samar: não há morte, pai", p. 32
  19. "Lingua de pretos", p. 35
  20. "Santo António do Serrado", p. 36
  21. "Hino Bravense", p. 36
  22. "A ilha Brava", p. 39
  23. "Já m'crê-bo (traduction d'un poème de Pedro Cardoso)", p. 41
  24. "Amo-te (trad. de Paulo Lagardère)", p. 41
  25. "Cartas", p. 42
  26. "Bárbara, bonita scraba (traduction d'un poème de Luís de Camões)", p. 47
  • "A ilha Brava", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VII, n° 25 (1997), p. 13
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VII, n° 24 (06-07/1997):
  1. "Cartas de Eugénio Tavares", p. 13
  2. "A Wilson", p. 15
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano III, n° 16-17 (1994), supl.:
  1. "Cartas de família: para minha mãe adoptiva D. Eugénia Vera Cruz Medina, na ilha Brava", p. 3
  2. "Crónicas tristes: à minha mãe adoptiva D. Eugénia Vera-Cruz Medina", p. 4
  • "Que importa'n là?", Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano III, n° 9 (05/1988), p. 35
  • "Poesia crioula: quel pessoa", O mundo português: revista de cultura e propaganda, arte e literatura colonias  (Lisboa), 1934-1947, vol. 3, n° 26, p. 41-44
  • "O perigo branco", O eco de Cabo Verde, ano I, n° 3 (1933), p. 5
De son vivant
  • "A ilha Brava", Boletim geral das colónias, ano V, n° 45 (03/1929), p. 215-220
  • "Eugeninho", O manduco: orgão defensor dos interêsses da Colónia, ano I, n° 14 (30/06/1924), p. 3; reprint: 2016, p. 63
  • O manduco: orgão defensor dos interêsses da Colónia, ano I, n° 13 (06/1924):
  1. "Sendas impérvias", p. 6-7; reprint: 2016, p. 58-59
  2. "Hino à Pátria", p. 8; reprint: 2016, p. 60
  • O manduco: orgão defensor dos interêsses da Colónia, ano I, n° 11 (30/01/1924):
  1. "Língua de pretos", p. 1; reprint: 2016, p. 49
  2. "Ementária de Antão Lopes - III", p. 2; reprint: 2016, p. 50
  3. "Tormentas (do livro Desfronta)", p. 3; reprint: 2016, p. 51
  4. "Sonetos I: Paí!", p. 4; reprint: 2016, p. 52
  5. "Sátiras", p. 4; reprint: 2016, p. 52
  6. "Oração", p. 4; reprint: 2016, p. 52
  • O manduco: orgão defensor dos interêsses da Colónia, ano I, n° 10 (15/01/1924):
  1. "Sonetos", p. 4; reprint: 2016, p. 48
  2. "Diante do cadaver de minha Mãe adoptiva, Eugénia Vera Cruz Medina", p. 4; reprint: 2016, p. 48
  • "Ementário de Antão Lopes - II", O manduco: orgão defensor dos interêsses da Colónia, ano I, n° 9 (30/12/1923), p. 3-4; reprint: 2016, p. 43-44 
  • "A saudade", O manduco: orgão defensor dos interêsses da Colónia, ano I, n° 7 (30/11/1923), p. 4; reprint: 2016, p. 40
  • "Escrava", O manduco: orgão defensor dos interêsses da Colónia, ano I, n° 6 (15/11/1923), p. 4; reprint: 2016, p. 36
  • "Ementário de Antão Lopes - I", O manduco: orgão defensor dos interêsses da Colónia, ano I, n° 5 (31/10/1923), p. 4; reprint: 2016, p. 32
  • "Frederico III", O manduco: orgão defensor dos interêsses da Colónia, ano I, n° 4 (15/10/1923), p. 4; reprint: 2016, p. 28
  • "Cartas de amor",  O manduco: orgão defensor dos interêsses da Colónia, ano I, n° 3 (30/09/1923), p. 4; reprint: 2016, p. 24
  • O manduco, ano I, n° 2 (01/09/1923)
  1. "Othon, príncipe de Bismark", p. 4; reprint: 2016, p. 20
  2. "O velho cantor", p. 4; reprint: 2016, p. 20
  • "José Rodrigues Aleixo", O manduco, ano I, n° 1 (01/08/1923), p. 2; reprint (2016), p. 14
  • "Orçamento", O Caboverdeano: orgão republicano independente, defensor dos interesses da província, ano I, n° 1 (1918), p. 2
  • "Não morreu", Revista de Cabo Verde, n° 17 (12/1899), p. 1-2
  • "A revista", Revista de Cabo Verde, n° 16 (11/1899), p. 2-3
  • "Duas palavras", Revista de Cabo Verde, n° 15 (10/1899), p. 2-4
  • Revista de Cabo Verde, n° 14 (09/1899):
  1. "Verdade", p. 2-3
  2. "Lutos", p. 6
  • "Mentiras", Revista de Cabo Verde, n° 13 (09/1899), p. 1-2
  • Revista de Cabo Verde, n° 12 (08/1899):
  1.  "Justificação", p. 4-5
  2. "A mudança da capital", p. 7-8
  3. "Guilherme Dantas", p. 9-10
  • "Luíz Medina I", Revista de Cabo Verde, n° 11 (08/1899), p. 4-5
  • "Pobres!", Revista de Cabo Verde, n° 10 (07/1899), p. 5-6
  • Revista de Cabo Verde, n° 9 (07/1899):
  1. "A esquadra de cervera em S. Vicente", p. 1-4
  2. "A mudança da capital", p. 4-6
  • Revista de Cabo Verde, n° 8 (06/1899):
  1. "A mudança da capital", p. 3-7
  2. "Irresponsaveis", p. 8-9
  • "Festas", Revista de Cabo Verde, n° 7 (05/1899), p. 6
  • Revista de Cabo Verde, n° 6 (05/1899):
  1. "Ad petum sensum", p. 7-8
  2. "Remedos", p. 11-12
  3. "Começa o saque!", p. 12-13
  • "Pedir ou exigir", Revista de Cabo Verde, n° 5 (04/1899), p. 5-6
  • Revista de Cabo Verde, n° 4 (04/1899):
  1. "A venda das colónias", p. 5
  2. "Esperança", p. 8
  • "Musicos", Revista de Cabo Verde, suplemento n° 3 (03/1899), p. 2-3
  • Revista de Cabo Verde, n° 3 (03/1899):
  1. "Prudências", p. 77-80
  2. "Pregar no deserto", p. 81-84
  3. ​"Impostos", p. 95-98
  • "A revista", Revista de Cabo Verde, n° 2 (02/1899), p. 36-40
  • António Manuel da Costa Teixeira  (dir.), Almanach luso-africano ilustrado para 1899..., Lisboa: Guillard, Aillaud e Cia1898 (reprint: Coimbra: Edições Almedina / Lisboa: CLEPUL, 2011):
  1. "Arithmogramma, n° 16", p. 166
  2. "Arithmogramma, n° 17", p. 169-171
  3. "Ave Maria", p. 286
  • António Manuel da Costa Teixeira  (dir.), Almanach luso-africano ilustrado para 1895..., Lisboa: Livraria de Antonio Maria Pereira, 1894 (reprint: Coimbra: Edições Almedina / Lisboa: CLEPUL, 2011):
  1. Eugenio P. Tavares, "Manilhas (canções populares bravenses)", p. 101-102
  2. E.P.T., "Parabens (ao padre André Firmino)", p. 114
  3. Eugenio P. Tavares, "Credo (a M. L.)", p. 134
  • António Xavier Rodrigues Cordeiro (dir.), Novo almanach de lembranças luso-brazileiro para o anno de 1895, Lisboa: Livraria de Antonio Maria Pereira, 1894rééditionAlmanaque..., vol. I (1851-1900), Praia: IBNL, 2012 (reprint: 2014):
  1. "Regresso", p. 288; 2012, n° 298, p. 313
  2. "À memória de Luís Medina (e Vasconcelos)", p. 380-381; 2012, n° 301, p. 317-318
  • "Alvorecer" (poema / Abril de 1888), in António Xavier Rodrigues Cordeiro (dir.), Novo almanach de lembranças luso-brazileiro para o anno de 1892, Lisboa: Livraria de Antonio Maria Pereira, 1891, p. 443; rééditionAlmanaque..., vol. I (1851-1900), Praia: IBNL, 2012 (reprint: 2014), n° 261, p. 283
  • "Esperança" (poema), in António Xavier Rodrigues Cordeiro (dir.), Novo almanach de lembranças luso-brazileiro para o anno de 1891, Lisboa: Livraria de Antonio Maria Pereira, 1890, p. 476; rééditionAlmanaque..., vol. I (1851-1900), Praia: IBNL, 2012 (reprint: 2014), n° 245, p. 270
  • "Torturas" (poema), in António Xavier Rodrigues Cordeiro (dir.), Novo almanach de lembranças luso-brazileiro para o anno de 1889, Lisboa :Livraria de Antonio Maria Pereira, 1888, p. 328; rééditionAlmanaque..., vol. I (1851-1900), Praia: IBNL, 2012 (reprint: 2014), n° 197, p. 213-214
  • "Kate" (poema), in António Xavier Rodrigues Cordeiro (dir.), Novo almanach de lembranças luso-brazileiro para o anno de 1888. Suplemento, Lisboa: Livraria de Antonio Maria Pereira, (1887?), p. 204; rééditionAlmanaque..., vol. I (1851-1900), Praia: IBNL, 2012 (reprint: 2014), n° 184, p. 203-204
  • "Acróstico", in António Xavier Rodrigues Cordeiro (dir.), Novo almanach de lembranças luso-brazileiro para o anno de 1887. Suplemento, Lisboa: Livraria de Antonio Maria Pereira, (1886?), p. 45; rééditionAlmanaque..., vol. I (1851-1900), Praia: IBNL, 2012 (reprint: 2014), n° 168, p. 189 
  • "Paisagem" (poème), in António Xavier Rodrigues Cordeiro (dir.), Novo almanach de lembranças luso-brazileiro para o anno de 1886. Suplemento, Lisboa: Livraria de Antonio Maria Pereira, (1885?), p. 53; rééditionAlmanaque de lembranças luso-brasileiro. Presença cabo-verdiana, vol. I (1851-1900), Praia: IBNL, 2012 (reprint: 2014), n° 160, p. 180-181
Recueils collectifs - Anthologies - Autres
  • Erica Antunes Pereira / Maria de Fátima Fernandes / Simone Caputo Gomes (ed.), Cabo Verde, 100 poemas escolhidos, Praia: Ed. Pedro Cardoso, 2016:
  1. "Força de crecheu", p. 17
  2. "Hora di bai", p. 18-19
  3. "Partindo", p. 20
  4. "Triste regresso", p. 21-22
  • (IT) "Morna dell'addio", in Roberto Francavilla / Maria R. Turano (ed.), Isole di poesia: antologia di poeti capoverdiani, Lecce: Argo, 04/1999, p. 37-38
  • Carmen Lúcia Tindó Ribeiro Secco (ed.), Antologia do mar na poesia africana de língua portuguesa do século XX, vol. II: Cap Vert, Rio de Janeiro: UFRJ, 1999:
  1. "Partindo", p. 29
  2. "Triste regresso", p. 30-31
  • Arnaldo França (ed.), Antologia da ficção cabo-verdiana: vol. I - Pré-Claridosos, Praia: AEC Edições, 1998 (réédition 2017):
  1. "There She Blows! (in Esperança: suplemento do Almanaque luso-africano, 04/1901)", p. 41-43
  2. "Por causa de um casamento (in A voz de Cabo Verde, 1914)", p. 45-67
  3. "A ceia da parelha (in A voz de Cabo Verde, 1913)", p. 69-74
  • "Mornas de despedida", in Salvato Trigo (ed.), Matrilíngua: antologia de autores de língua portuguesa, vol. II, Viana do Castelo: Câmara municipal de Viana do Castelo, 1997, p. 243-246
  • Manuel Ferreira (ed.), Cartas inéditas de Jorge Barbosa, João Lopes e Eugénio Tavares a José Osório de Oliveira, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1989, pag. var.
  • "Morna de despedida", in Lúcia Cechin (ed.), Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe: poesia e conto, Porto Alegre (Brasil): UFRGS, 1986, p. 27
  • Manuel Ferreira (ed.), No reino de Caliban: antologia panorãmica da poesia africana de expressão portuguesa  (vol. I: Cabo Verde / Guinée-Bissau), Lisboa: Seara Nova, 1975 (3a ed. 1988):
  1. "Força de crecheu", p. 295-296; 1988, p. 289
  2. "Morna de despedida", p. 296-298; 1988, p. 290-292

Vinyls - CD
  • https://www.discogs.com/fr/search/?q=eug%C3%A9nio+tavares&type=all
  • Mornas, Mindelo: Artiletra, 2017, 1 audio disc.

Etudes critiques


  • Pierre Franklin Tavares, Poésie et créole chez Eugénio Tavares: Poétologie et essai sur le Mal d'Amor, Riga (Lettonie): Les Éditions d'Orgemont, 2017, 106 p.
  • Genivaldo Rodrigues Sobrinho, Eugénio Tavares: retratos de Cabo Verde em prosa e poesia, Praia: Pedro Cardoso Livraria, 2017, 257 p., 24 cm.: tese de doutorado, São Paulo: USP, 2010
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXV, n° 140 (12/2016):
  1. Larissa Rodrigues, "1867-2017: nos cento e cinquenta anos do nascimento do poeta Eugénio Tavares", p. 2
  2. Carlos Parreira, "Para servir de stella fúnebre a um poeta que morreu", p. 2
  3. Larissa Rodrigues, "Eugénio Tavares afinal teve um filho", p. 11
  4. "Dados do nascimento e do baptismo de Gabriel Gomes, filho de Eugénio Tavares, extraído do Livro de registo de nascimento de filhos legítimos e ilegítimos referente ao mês de Junho de 1925, e dados da filiação de Abril de 1930", p. 12-13
  • Jorge Chichorro Rodrigues, Eugénio Tavares, s.l.: Prelo, 2016, 74 p., 15 cm. (coll. Mestres da língua portuguesa, n° 7)
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XX, n° 122-123 (05-06/2014): numéro spécial Eugénio Tavares
  1. Luís Medina e Vasconcelos, "A Badinha (in Almanaque de lembranças luso-brasileiro, 1885)", p. 3
  2. "Dados do nascimento e do baptismo de Eugénio Tavares", p. 5
  3. António de Arteaga Souto Maior, "No dia de seus anos", p. 5
  4. Luís Romano, "Perfil de Eugénio Tavares (in Ponto e virgula, n° 16, 01-06/1986)", p. 6
  5. "Registo de óbito de Eugénia Nozolini Roiz Tavares", p. 7
  6. "A morte da mãe após o parto lança Eugénio na orfandade", p. 7
  7. Eugénio Tavares Sena, "Larissa Rodrigues – homenagem singela mas muito valiosa", p. 9
  8. "ETC – Eugénio Tavares connosco", p. 11
  9. Osório de Oliveira, "Uma poesia ignorada", p. 13
  10. Ana Cordeiro, "Eugénio Tavares e a luta pela dignidade dos Cabo-Verdianos", p. 14
  11. "Eugénio Tavares", p. 15-17
  12. Larissa Rodrigues, "Para matar a fome, Eugénio Tavares vende jornais nas ruas de New Bedford", p. 18
  13. Idá Abreu, "Nota descritiva", p. 28
  14. Jorge Trigo, "Eugénio e Casimiro – a Brava e a morna", p. 29
  15. Ondina Ferreira, "Eugénio Tavares, cantigas e sonetos: a influência poética de João de Deus e de Antero de Quental", p. 30 + 32 + 34
  16. José Lopes, "Eugénio Tavares", p. 31 +33
  17. Manuel Ferreira, "Cartas inéditas… (extracto)", p. 32
  18. Graça Gomes de Pina, "Eugénio Tavares", p. 35
  19. Teobaldo Virgínio, "O fabuloso rei da morna, Eugénio Tavares, renovador da letra e da música crioulas (in A palavra, 29/05/1970)", p. 36
  20. Francisco Fragoso / Kwame Kondé, "Da relevância de ser Eugénio Tavares", p. 37
  21. José Vicente Lopes, "MS. Kate (um amor de Eugénio Tavares)  (extracto)", p. 38
  22. Vadinho Velhinho, "O que dariam Eugénio Tavares e Gustavo Adolfo Bécquer por estes dois poemas ?", p. 39-40 (texte revu et augmenté, Artiletra, n° 101)
  23. António Firmino, "Eugénio Tavares", p. 44
  • Vadinho Velhinho, "O que dariam Eugénio Tavares e Gustavo Adolfo Bécquer por estes dois poemas?", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XX, n° 111 (12/2011 - 01/2012), p. 5
  • Fabiana Miraz de Freitas Grecco, "O amor mestiço na poesia de Eugénio Tavares: uma leitura sobre o conceito de amor / Mestizo Love in the Poetry of Eugénio Tavares: a Reading on the Concept of Love", Estação literária  (Londrina), vol. 8A (12/2011), p. 118-131  (web - pdf)
  • Genivaldo Rodrigues Sobrinho, "A poética das mornas de Eugénio Tavares", Scripta, vol. 14, n° 27 (12/2010), p. 113-124
  • Genivaldo Rodrigues Sobrinho, Eugénio Tavares: retratos de Cabo Verde em prosa e poesia (tese de doutorado), São Paulo: Universidade de São Paulo, 20/08/2010, 200 p.  (web)
  • António Carlos Oliveira Santos, Eugénio Tavares: poesia e convenção romântica  (dissertação de mestrado), São Paulo: Universidade de São Paulo, 2007-2008, (137) p.  (web)
  • Artur Vieira, Eugénio Tavares: palco de dor e amor (teatro), Praia: IBNL, 2007, 107 p.
  • Artur Vieira, "Eugénio Tavares: palco de dor e amor (continuação do número anterior)", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XVI, n° 83 (06/2007), p. 18
  • Artur Vieira, "Eugénio Tavares: palco de dor e amor (continuação do número anterior)", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XVI, n° 82 (04-05/2007), p. 19
  • Artur Vieira, "Eugénio Tavares: palco de dor e amor (continuação do número anterior)", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XVI, n° 81 (12/2006 - 01/2007), p. 20 (blanche) + 23
  • António Germano Lima, Eugénio Tavares: contribuição para a investigação historico-cultural da sociedade cabo-verdiana, Praia: Universidade de Cabo Verde (UniCV), 2006, n/a p.
  • Artur Vieira, "Eugénio Tavares: palco de dor e amor (continuação do número anterior)", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XVI (sic), n° 78 (10-11/2006), p. 8
  • Artur Vieira, "Eugénio Tavares: palco de dor e amor (cont. do número anterior)", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XIII, n° 75 (01/2006), p. 5 + 7
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XIII, n° 75 (01/2006):
  1. Artur Vieira, "Eugénio Tavares: palco de dor e amor", p. 7-8
  2. Aristides Lima, "Leia este acróstico feito a correr…: Amélia Lima e Eugénio Tavares, amigos ou irmãos de espírito?", p. 8
  • Alberto Francisco Lopes, "Discurso patriótico e nacionalista em Eugénio Tavares e Pedro Cardoso (II)", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano X, n° 36-37 (04-05/2001), p. 20
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano IX, n° 34-35 (06-07/2000):
  1. Félix Monteiro, "Notas biográficas de Eugénio Tavares", p. 2 + 48 +46
  2. Vadinho Velhinho, "Eis os homem", p. 3
  3. Luís Romano, "Perfil de Eugénio Tavares", p. 3
  4. Jorge Barbosa, "Eugénio Tavares (tópicos de uma monografia) - (in Notícias de Cabo Verde, 31/05/1931)", p. 4
  5. Celestino Gomes, "Eugénio Tavares, um grande poeta português de Cabo Verde", p. 4
  6. António Aurélio Gonçalves, "Dois astros: Januário Leite e Eugénio Tavares (in A mocidade africana)", p. 4
  7. Francisco Lopes da Silva, "In memoriam de Eugénio Tavares (Mindelo, 06/1994)", p. 5
  8. Vasco Martins, "A morna de Eugénio Tavares: uma breve aproximação musicológica e poética", p. 6
  9. José Lopes, "Vivos e mortos: Eugénio Tavares (01/1931)", p. 8
  10. Artur Vieira, "Apoteose", p. 8
  11. Larissa Rodrigues, "A ti devo, ó minha inolvidável Mãe adoptiva, o bem de ter sorrido em criança", p. 10
  12. "A mãe na obra de Eugénio Tavares (alguns trechos)", p. 13
  13. Fotografias, p. 16 + 33
  14. Larissa Rodrigues, "Inédito de Eugénio Tavares", p. 18
  15. "Epitáfio para Eugénio Tavares", p. 19
  16. Celeste Pereira, "Recordando...", p. 21
  17. "Dois manuscritos de Eugénio Tavares", p. 23
  18. Jorge Carlos Fonseca, "Uma noite com Eugénio Tavares, no sítio de Santa Bárbara, no ano de 1921-1998, com a promessa de um reencontro daqui por cinco anos", p. 24
  19. Vadinho Velhinho, "Eugénio Tavares - estância de amores, de Força de cretcheu  a Mal de amor", p. 26-27
  20. Vadinho Velhinho, "És o meu Bardo", p. 27
  21. Resende Évora Brito, "Eugénio Tavares", p. 30
  22. "Eugénio Tavares (in Missionário católico, 1930)", p. 31 + 36
  23. Manuel Veiga, "As lições do poeta da crioulidade", p. 35
  24. Celina Pereira, "Comida de Santo", p. 36
  25. Pedro Cardoso, "Eugénio Tavares", p. 41
  26. Pedro Cardoso, "À memória", p. 41
  27. Manuel Lopes, "Parentesis", p. 41
  28. Francisco Mascarenhas, "O amor na poesia de Eugénio Tavares (fragmentos da palestra de Gabriel da Silva Mariano, quando frequentava a secção de letras no Liceu Gil Eanes)", p. 43-44
  29. João Manuel Ferro Nobre de Oliveira, "O primeiro jornalista da diáspora?", p. 45
  30. João Manuel Ferro Nobre de Oliveira, "Os pais adoptivos de Eugénio Tavares", p. 45
  31. "Baltasar Lopes fala de Eugénio Tavares", p. 47
  • Alberto Francisco Lopes, "Discurso patriótico e nacionalista em Eugénio Tavares e Pedro Cardoso (I)", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VIII, n° 32-33 (01-02/2000), p. 19
  • José Vicente Lopes, "Viagens e tormentas de Eugénio Tavares", A semana, ano VIII, n° 432 (1999), p. 20
  • Teresa Sofia Fortes, "Eugénio Tavares bate record", A semana, ano VIII, n° 385 (1999), p. 18
  • Félix Monteiro, "Prefácio", in Eugénio Tavares: viagens, tormentas, cartas e postais, Praia / Mindelo: Instituto promoção cultural (IPC), 11/1999, p. n/a 
  • Tomé Varela da Silva, "Eugénio Tavares pelos jornais...", Pré-textos  (Praia), n° n/a (12/1998), p. 56-59
  • Félix Monteiro, "Prefácio", in Eugénio Tavares: pelos jornais..., Praia: ICLD, 12/1997, p. n/a
  • Artur Vieira, "Eugénio Tavares, um homem do povo", Cimboa: revista cabo-verdiana de letras, artes e estudos, ano 2, n° 3 (1997), p. 4-5
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VII, n° 24 (06-07/1997):
  1. Amiro Faria, "Inéditos de Eugénio Tavares", p. 14
  2. "Epitáfio para Eugénio Tavares", p. 15
  • Félix Monteiro, "Prefácio", in Eugénio Tavares: Poesia, contos, teatro, Praia: ICL, 1996, p. n/a
  • Félix Monteiro, "Notas biográficas de Eugénio Tavares", Emigrason: revista do MNE, série 1, n° 33 (1994), p. 28-29
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano III, n° 16-17 (1994):
  1. Celestino Gomes, "Eugénio Tavares: um grande poeta português de Cabo Verde", p. 4
  2. Félix Monteiro, "Notas biográficas de Eugénio Tavares", p. 5
  3. Francisco Lopes da Silva, "In memoriam de Eugénio Tavares", p. 5
  4. Vasco Martins, "A morna de Eugénio Tavares: uma breve aproximação musicológica e poética", p. 6
  5. Pedro Cardoso, "Eugénio Tavares", p. 9
  6. Gabriel Mariano, "O amor na poesia de Eugénio Tavares", p. 11-12
  7. "Os pais adoptivos de Eugénio Tavares", p. 13-14
  8. Félix Monteiro, "Notas biográficas de Eugénio Tavares", p. 14-16
  • Tacalhe, "Djabraba de Sãozinha ou Sãozinha canta Eugénio Tavares", Novo jornal Cabo Verde, ano II, n° 136 (1994), p. 11
  • Sandra Custódio, "A condecoraçõ a Eugénio Tavares foi um acto sublime: sublinhou Eugénio de Paula Tavares de Sena", Novo jornal Cabo Verde, ano III, n° 285/53 (1995), p. 10-11
  • Félix Monteiro, "Homenagem a Eugénio Tavares", A semana, ano I, n° 30 (1991), p. 11
  • Gabriel Mariano, "Amor e partida na poesia crioula de Eugénio Tavares ou inquietação amorosa", in Gabriel Mariano, Cultura caboverdeana: ensaios, Lisboa: Vega, 1991, p. n/a
  • Francisco Lopes da Silva, "Lembrando Eugénio Tavares", Notícias, ano IV, n° 33 (1990), p. 17
  • Manuel Ferreira, "Cartas inéditas de Jorge Barbosa, João Lopes e Eugénio Tavares a José Osório de Oliveira", Revista Colóquio/Letras  (Lisboa), n° 110-111 (07/1989), p.110-123
  • Luís Romano, "Perfil de Eugénio Tavares", Ponto e virgula: revista de intercâmbio cultural, n° 16 (01-07/1986), p. 2-8
  • Gerald M. Moser, "More than Mornas: Eugénio Tavares's Other Writings", Luso-Brazilian Review, vol. 23, n° 1 (07/1986), p. 17-35
  • "Obras de Eugénio Tavares são fonte da nossa inspiração litero-musical", Voz di povo, ano V, n° 256 (1981), p. 8
  • Félix Monteiro, "P´ginas esquecidas de Eugénio Tavares", Raízes, ano V, n° 17-20 (1981), p. 121-180
  • Luís Romano, Perfil de Eugénio Tavares: pesquisas e antologia, Brava: edição do autor, 1981, 204 p.
  • Amândio César, "A propósito de Eugénio Tavares", Permanência: revista mensal de actualidades ultramarinas, ano I, n° 5 (09/1970), p. 26-27
  • Mário Mota, "O poeta Eugénio Tavares", Ultramar: revista da comunidade e da actualidade ultramarina internacional, ano XI, n° 41-42 (1970), p. 120-127
  • Carlos Parreira, "Eugénio Tavares, poeta crioulo...", O mundo português, vol. 7, n° 78 (06/1940), p. 263-266
  • "Eugénio Tavares", Notícias de Cabo Verde: orgão regionalista independente, ano III, n° 47 (1933), p. 1
  • "Eugénio Tavares", Notícias de Cabo Verde: orgão regionalista independente, ano III, n° 46 (1933), p. 1-2
  • "Eugénio Tavares: poeta e jornalista", O eco de Cabo Verde, ano I, n° 3 (1933), p. 3
  • José Lopes, "Vivos e mortos", O manduco: orgão defensor dos interêsses da Colónia, ano I, n° 5 (31/10/1923), p. 2; reprint: 2016, p. 30
  • s.n., "Fadinhos - Eugénio Paula Tavares. 1896. Electric Pri(n)ting. New Bedford. Mass", in António Xavier Rodrigues Cordeiro (dir.), Novo almanach de lembranças luso-brazileiro para o anno de 1898, Lisboa: Livraria de Antonio Maria Pereira, 1897, p. CIV; rééditionAlmanaque..., vol. I (1851-1900), Praia: IBNL, 2012 (reprint: 2014), n° 322, p. 331
A VERIFIER
  • Luís Romano, "Eugénio Tavares: um dos intelectuais cabo-verdianos sacrificado pela ânsia da liberdade"
  • Luís Romano, "Obras de Eugénio Tavares são fonte da nossa inspiração litero-musical: entrevista"
  • Carlos Lopes Pereira, "Eugénio Tavares e Pedro Cardoso em defesa de África e dos negros"

Mornas...

(1932)

Mornas...

(1969)

Músicas...

(1987)

Mornas: canzoni creole

(2005)