Jaime de FIGUEIREDO
(1905 - 1974)

Biographie

Jaime de Figueiredo est né le 25 novembre 1905 à Praia et meurt le 15 octobre 1974.
On ne sait pas grand chose sur sa vie, faute d'études biographiques développées, si ce n'est qu'il a exercé la fonction de conservateur de la Bibliothèque municipale de Praia.

Il occupe le siège n° 19 des Patronos / Imortais da Academia Cabo-verdiana de Letras, fondée en 2013.

haut

Oeuvres littéraires


Jaime de Figueiredo n'est pas à proprement parlé un écrivain-poète. Il est avant tout un journaliste-essayiste, un critique, voire un dramaturge, pratiquant par ailleurs les arts plastiques. Il se veut membres fondateurs de la revue Claridade, dont le premier numéro paraît en 1936, sans pour autant n'y avoir jamais rien publié. Mais il résidait alors à Mindelo et avait une certaine expérience de l'édition. A partir de 1929, il était le correspondant au Cap Vert de la revue Presença, éditée à Coimbra, et en 1931, il fonda et dirigea le périodique culturel Atlanta, à Praia.
Quant à sa notoriété, il la doit essentiellement à un de ses travaux: l'anthologie Modernos poetas cabo-verdianos  publiée à Praia en 1961, qui entraîne une petite révolution dans le milieu culturel capverdien car elle est illustre parfaitement la modernité que connaît alors la littérature de l'archipel. Plus encore, elle est considérée comme la première du genre ou du moins presque. En effet, outre l'Antologia da ficção cabo-verdiana contemporânea  publiée par Baltasar Lopes en 1960, on a l'ouvrage de José Osório de Oliveira, intitulé Poesia de Cabo Verde et publié à Lisbonne en 1944, ainsi qu'une Antologia da poesia negra de expressão portuguesa  rédigée par Mário Pinto de Andrade et éditée en 1959 à Paris. Mais la synthèse de Jaime de Figueiredo reste un élément clé pour comprendre l'évolution des mentalités et de la culture capverdienne de l'Après-Guerre.
Pour le reste, on trouve principalement ses écrits dans la revue Cabo Verde, dont il est un des principaux collaborateurs.

Note: Jaime de Figueiredo connaît nombre d'homonymes, ce qui rend l'établissement de sa bibliographie difficile.

haut

DIA DE PORTUGAL

Em perene afirmação de conteúdo heróico e de poderosa expressão das aspirações nacionais, mantém-se sempre como chama votiva da mais pura exaltaçõ patriótica, nas estrofes magnificas de Os lusiadas, a mensagem épica de Camoões.
Momento de consagração colectiva do passado heróico e das virtudes próprias da alma portuguesa, o aniversário do passamento do Poeta imortalizado no coração da Pátria marca sempre uma presença evocativa - cuja projecção épica tranporta o mais belo significado dentro dos valores que exaltam a continuidade histórica da vida da Nação.
Possuido de poderosa faculdades de realização ao sopro do génio que distingue ao longo da gestação literária os raros supra-liricos, Luis de Camões com extraordinário vigor de concepção, e em plano equivalente ao das mais altas criações gregas e latinas, integra num conjunto lendário e mitico - caracteristico da verdadeira epopeia -, os grandes lances da História de Portugal, entrelaçando-os, no entrecho maravilhoso das ficções mitológicas, ao feito extraordinário que para a civilização Ocidental e a cultura renascentista significa a descoberta do caminho maritimo para as Indias.
O poema Os lusiadas  representa a consubstanciação de todas as forças intimas e qualidades espectaculares que na marcha da História afirmam e projectam luminosamente a presença do povo português - o petio ilustre lusitano; revive a trajectória gloriosa duma raça sagrada para altas empresas, em gesta heróica e aventurosa granvada no mármore imperecivel das suas estrofes, perpetuando para todo o sempre na galeria dos maiores.

Aqueles que por obras valerosas
Se vão da lei da morte libertando

Através dos tempos, das épocas e das gerações, a obra de Camões continua e permanecer´presente como simbolo definitivo das lutas e vitórias, das esperanças e promessas dum povo eleito, na trama maravilhosa do poema que condensa a marcha ascendente e gloriosa da história nacional marcando as linhas-mestras do Passado como garantes da força predestinada que anima e projecta no Mundo a glória imoredoura de Portugal.
(Nota de abertura do Rádio Clube de Cabo Verde)

Cabo Verde, n° 70 (06/1955), p. 1

haut

Bibliographie


Oeuvres

  • Emigração, Praia: Ministério dos negócios estrangeiros, 1986, 4 p.
  • Cabo Verde e o seu arquivo geral, Porto: Biblioteca municipal do Porto, 1968, 18 f., 30 cm.
  • A fundação da Biblioteca pública da Praia, Praia: Edição dos Serviços de propaganda, 1951, 34 p., 23 cm.

Périodiques

  • "António Nunes, um poeta do quotidiano crioulo", Raízes, ano I, n° 1 (01-04/1977), p. 20-30
  • "Homenagem ao Dr. Baltasar Lopes", O arquipélago: orgão de informativo do Centro de informação e turismo, ano X, n° 508 (1972), p. 8
  • "O sentido da morna e das coladeiras", Revista de etnografia do Museu de etnografia e história  (Porto), ano XIV, t. 2, n° 28 (07/1970), p. 317-320
  • "A Fortaleza Real de S. Filipe e o seu restauro", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano X, n° 117 (06/1959), p. 15-19 
  • "A Fortaleza Real de S. Filipe e o seu restauro", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano X, n° 113 (02/1959), p. 13-17
  • "A mão de obra nas estatísticas económicas", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano X, n° 110 (11/1958), p. 11-13
  • "Centralização, tecnicidade, autonomia", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VIII, n° 96 (09/1957), p. 1-2
  • "Ensaio de interpretação do Nocturno  de Osvaldo Alcântara", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VII, n° 78 (1956), p. 7-16
  • Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VII, n° 77 (02/1956):
  1.  "Retalhos da rádio", p. 7-9
  2. "Para a comparabilidade das estatísticas", p. 13-16
  • "Amigos da comunidade luso-brasileira", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VII, n° 74 (1955), p. 29
  • "Editorial", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VII, n° 73 (1955), p. 3
  • "O índice de preços em Cabo Verde", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VI, n° 72 (1955), p. 11-15
  • Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VI, n° 71 (1955):
  1. "O índice de preços em Cabo Verde", p. 11-15
  2. "Retalhos da rádio", p. 21-24
  • Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VI, n° 70 (1955):
  1. "Dia de Portugal", p. 1
  2. "Retalhos da rádio", p. 13-15
  • "Retalhos da rádio", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VI, n° 69 (1955), p. 17-18
  • "Retalhos da rádio", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VI, n° 68 (1955), p. 12-15
  • "Retalhos da rádio", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VI, n° 67 (1955), p. 18-20
  • "Retalhos da rádio", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano VI, n° 66 (1955), p. 9-12
  • "Retalhos da rádio", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano V, n° 63 (1954), p. 3-5
  • "Retalhos da rádio", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano V, n° 62 (1954), p. 13-15
  • "Retalhos da rádio", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano V, n° 61 (1954), p. 6-8
  • "O Arquivio provincial", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano V, n° 58 (1954), p. 6-10
  • Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano V, n° 57 (1954):
  1. "Importantes afirmações do deputado por Cabo Verde Dr. Adriano Duarte Silva", p. 18-20
  2. "Ensino nas ilhas de Cabo Verde", p. 27-28
  • "Bibliografia caboverdeana: subsídios para uma ordenação sistemática", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano V, n° 56 (1954), p. 37-40
  • "Distribuição somática nos censos de Cabo Verde", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano V, n° 55 (1954), p. 22-24
  • "Bibliografia caboverdeana: subsídios para uma ordenação sistemática", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano V, n° 54 (1954), p. 31-32
  • "Aspectos da estrutura demográfica", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano V, n° 52 (1954), p. 25-28
  • "Bibliografia caboverdeana: subsídios para uma ordenação sistemática", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano V, n° 50 (1953), p.31-32
  • "Bibliografia caboverdeana: subsídios para uma ordenação sistemática", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano V, n° 49 (1953), p. 31-32
  • "Comércio externo", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano IV, n° 48 (1953), p. 22-24
  • "Aspectos da estrutura demográfica", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano IV, n° 47 (1953), p. 9-11
  • "Aspectos da estrutura demográfica", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano IV, n° 46 (1953), p. 27-28
  • "Emigração", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano IV, n° 42 (1953), p. 7-8
  • "Emigração", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano IV, n° 40 (1953), p. 31-32
  • "Conceitos técnicos do censo da população", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano III, n° 30 (1952), p. 5-7
  • "O recenseamento de 1950", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano III, n° 29 (1952), p. 5-7
  • "Notas soltas", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano II, n° 13 (1950), p. 6-8
  • "Terra de sôdade: argumento de bailado folclórico em quatro quadros", Atlântico: revista luso-brasileira, nova série, n° 3 (1947), p. 109-116

Recueils collectifs - Anthologies - Autres

  • "Modernos poetas caboverdeanos / Des poétes modernes capverdiens", in Manuel Veiga (ed.), Cabo Verde: insularidades e literatura / Insularité et littérature aux îles du Cap Vert, Paris: Editions Karthala, 1998, 127-136 p. (PT) / p. 131-141 (FR)
  • "Prefácio", in António Nunes, Poemas de longe, Praia: ICL, 1988, p. n/a
  • Gabriel Mariano, 12 poemas de circunstância, s.l. (Praia): Edição do autor, 1965, 20 p.: "ca. e orientação Jaime de Figueiredo" 
  • Modernos poetas cabo-verdianos: antologia: selecção e apresentação de Jaime de Figueirido, Praia: Edições Henriquinas Achamento de Cabo Verde, 1961, 197 p., 23 cm.
  • Catálogo da exposição do documentário fotográfico sobre as ruínas da antiga cidade da Ribeira Grande de Santiago, Lisboa: Henriquinas, 1960, n/a

Mauvaise attribution: homonyme Jaime Soares de Figueiredo, dit Jayme, né aux Açores (1897-1964)

  • In memorian: José Leandres de Chaves, Lisboa: Tipografia Casa portuguesa, 1959, 16 p., 25 cm.
  • Impérios marienses, Lisboa: C. de Oliveira, 1957, 160 p., 21 cm.
  • Uma alfândega em Santa Maria, Lisboa: Oficinas gráficas Casa portuguesa, 1954, 34 p., 22 cm.
  • Ilha de Gonçalo Velho: da descoberta até ao aeroporto, Lisboa: C. de Oliveira, 1954, 205 p., 21 cm.
  • Rosas de Santa-Maria, Lisboa: Parceria António Maria Pereira, 1940, 157 p., 21 cm.
  • Correio da Europa: a resistencia, Lisboa: Angelo Brandão, 1920, n/a p., 53 cm.

haut

Etudes littéraires


  • Alvaro Ludgero Andrade, "Escritores de língua portuguesa homenageiam Jaime de Figueiredo", Voa, 21/04/2018, en ligne  (web)
  • Manuel Brito-Semedo (org.), Jaime, dramaturgo, pintor e ensaísta, Praia: Livraria Pedro Cardoso, 12/2017, n/a p.
  • Luís Romana, Jaime de Figueiredo: nossa gratidão!, Praia: Movimento pró-cultura, 1993, pag. var.
  • Osvaldo Osório, "Dois depoimentos sobre o artista Jaime de Figueiredo: o pavão de lata", Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano V, n° 14 (1990), p. 7-10
  • Arménio Vieira, "A vida e a morte de Jaime Figueiredo", África: literatura, arte e cultura, n° 10 (1980), p. 556
  • Óscar Lopes, "A crítica do livro Modernos poetas cabo-verdianos", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XIII, n° 150 (1962), p. 20-21
  • Arnaldo Saraiva, "Modernos poetas cabo-verdianos, selecção e apresentação de Jaime de Figueiredo: a crítica do livro", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano XIII, n° 150 (03/1962), p. 20-21; initialement publié dans la revue Rumo, n° 58 (12/1961), p. n/a
  • João Gaspar Simões, "Modernos poetas cabo-verdianos: antologia", Cabo Verde: boletim de propagande e informação, ano XIII, n° 147 (12/1961), p. 11-14