Paulino DIAS
(1976 - )

Biographie


Paulino Dias est né le 21 septembre 1976 à Fajã Domingas Benta, dans la localité de Ribeira da Torre, sur l'île de Santo Antão. A 12 ans, il déménage à São Vicente où il poursuit ses études. Licencié en économie au Brésil, il devient très actif dans le secteur économique, d'abord en tant que directeur marketing de Shell, puis occupant le poste d'administrateur de la Caixa económica de Cabo Verde, la première banque du pays, mais aussi en politique.

haut

Oeuvre littéraire


Dans le même temps, il publie des textes, en particulier une chronique sur le journal A semana online  et entre 1998-1999 dans O crioulo, jornal da Associação dos estudantes cabo-verdeanos no Rio de Janeiro, mais aussi des photographies (web) et participe au programme radio "Música e poesia" sur RNCV.
Il tient un blog jusqu'en 2011: http://blogdopaulino.blogspot.com/

haut

POEMAS COM SABOR A SEXO

1
E foste poema
e lua cheia
na ponta dos meus dedos sobre teu corpo
Foste clitóris
em alvoroço
no outro lado da minha língua erecta
o grito estrangulado
o ranger do tempo nos meus nervos
o tal mastro navegando
no teu mar uterino de Sodoma e Gomorra
o gemido que nos foge
e o silêncio depois...

2
Há uma lua cheia
sobre meu crânio e a memória
há teu gemido em meu tímpano de macho
há um orgasmo
o grito alucinado
e o silêncio – outra vez! –
no chão crã de Cidade Velha...

3
Poeta.
E musa.
E deusa
E fenda.
E mil vaginas
E gemido.
E flôr. Sem pudor.
E casta. Cândida.
Ânsia de tuas mãos
na minha pele.
O perfume.
O cigarro
(desconfortável).
A noite
putamente cúmplice.
A manhã
na memória.
A mánha
e a estória.
Feita poema em teus lábios.
A ânsia.
A cama sem sono.



4
Dobro a luz
em gemidos de fêmea,
desfaço a noite em sêmen
e a tal fenda flor deusa e puta
desfaço-me
insônia e
silêncio e
mãos de poeta
nas minhas – também! – mil epidermes,
desfaço-me em ti
na palma da minha mão direita
enlouquecida em orgasmos...

5
E hoje
a espera.
O tempo voa
para lá do crepúsculo de ontem
e da ante-volúpia nos teus meus olhos
Medusa poema som de violão luz & grito
musa noite lençol amarrotado fome de corpo
e fome na ponta dos dedos a pele inteira se contorce
Há rios de suor há gemidos feito amor de macho há dor
há lua cheia nos cabelos impudicamente fartos da fortaleza
há mãos e dedos e nervos de orgasmo cravados no parachoque
(e o grito cavo na garganta da noite como se poema no teu corpo desnudo...).

http://blogdopaulino.blogspot.com/2006/ - (15 et 18/11/2006)


haut

Bibliographie


  • "Duas regrinhas ao meu amigo Europeu", Bravanews Network, 29/08/2017, en ligne  (web)
  • Francisco Fontes (ed.), Destino de Bai: antologia de poesia inédita cabo-verdiana, Coimbra: Saúde em português, 06/2008:  (web)
  1. "Versos soltos", p. 65-67
  2. "Cinco poemas com sabor a sexo", p. 68-70
  3. "Trajectória", p. 71
  4. "Testamento", p. 72
  5. "23:46", p. 73
  • Gentes das ilhas 61 estórias enquanto o sono não vinha, Praia: s.n., 2006, 145 p., 24 cm

Etudes critiques - Articles


Aucune étude critique complète ou partielle n'a été trouvée!

haut