Oswaldo OSORIO
(1937 - )

Biographie

Oswaldo Alcântara Medina Custódio, plus connu sous le nom de Oswaldo Osório, est né le 25 novembre 1937, à Mindelo.
Durant sa jeunesse, il fréquente le Lycée Gil Eanes, avant de s'inscrire au Seminário Nazareno.
Par la suite, il effectue son service militaire à Lisbonne
En 1961, il retourne au Cap Vert où il devient employé à la Radio Barlavento. Il y dirige le programme "Revista sonora" durant trois années. Puis il devient tour à tour fonctionnaire, employé de commerce, président de l'União dos sindicatos.
Pour ses activités politiques et culturelles, il est emprisonné à deux reprises sous le régime salazariste.
Il vit actuellement à Praia.

haut

Oeuvres littéraires


Après la radio Barlavento, Oswaldo Osório devient directeur du Suplemento de poesia dos anos 80  du périodique Voz di povo. Il est également un des co-fondateurs de l'hebodmadaire culturel de Notícias de Cabo VerdeSeló, qui ne connaît que deux numéros.
Sa production littéraire est relativement dense. Poète, conteur, journaliste, il publie aussi bien des ouvrages en son nom que des articles ou poèmes dans de nombreux périodiques locaux et du monde lusophones.
En 2016, Oswaldo Osório publie un roman annoncé depuis plus de 40 ans: As Ilhas do meio do Mundo, qui d'après Brito Semedo est une "sagarela – a designação é do próprio autor para se referir a uma saga pequena – do seu percurso de vida de escritor e de combatente da liberdade da Pátria" (Expresso das ilhas, 25/07/2016). 

haut

HOLANDA

                               1
Holanda! 
Chegámos companheiros!!
Chegámos com barcos guildas nos olhos e desejo
                                                                    [de vencer
 
Chegámos intermináveis e actuais
às docas
betão aço cargueiros e braços precisados
Chegámos numa dimensão nova
e poremos todo o nosso esforço!

Fogueiros
marinheiros
lubrificáremos máquinas
alimentáremos caldeiras
betomaremos conveses
poremos sóis nos amarelos.

No bas-fond dos portos do mundo
loiras desconexas no espasmo novo,
Rítmica descompostura...!
Sensual olhar tropical
verde olhar felino
o espasmo quente esbate!

                               2

Nas docas, companheiros!
Barcos guildas nos olhos e desejo de vencer!
Chegamos intermináveis e actuais
às docas
betão aço cargueiros e braços precisados
e pusemos toto o nosso esforço!

Pusemos esperança na nórdica revelada
a cada barco chegado...
... Os que partiram
na leva do Esso Nederland!...

Os que ficaram
acenando
cada barco rumo ao mar
(jovens aventureiros da promessa do mar)
a Esperança levou-os
fogueiros
marinheiros...

Seló, n° 1 (1962)

haut

CAVALOS DE SÍLEX

ainda estávamos em guerra quando fomos à lua
e tínhamos fome e feridas nos olhos de cegar
 
agarrávamos o futuro com a luz do laser
e as flores gelavam aqui donde partíamos com carbúnculos
                                                                                     [nos braços
 
pássaros de pio futuro por onde andávamos
deixámos a terra grávida de salamandras esventradas
 
ganhávamos o pão nosso cada dia com medidas de suor
e um inverno de vómito estarrecia sob as raizes
 
as galáxias mediam-se por braçadas de legumes ou milho ou
                                                                                                  [arroz
que no-las distanciavam e as estrelas fugiam perseguidas
por cavalos de sílex
 
o sonho criava lodo cada manhã
as palavras mal nasciam apodreciam em limo
 
nesta situação-limite os seios o sexo o sémen
convenceram os homens nas suas fábricas
de cavalos de sílex
  
tarde
 
peitos punhos pulsos resolvemos ousar nosso pão


Vértice, n° 333 (1971)

Bibliographie


Oeuvres

  • Tiresias, Praia: Dada Editora, 2018, n/a p.
  • Emergência da poesia em Amílcar Cabral: 30 poemas, n/a: n/a, 2018, n/a p. 
  • As ilhas do meio do mundo: sagarela, Praia: Dada Editora, 2016, 187 p., 21 cm.
  • A sexagésima sétima curvatura, Praia: Dada Editora, 2007, 109 p., 21 cm.
  • Nimores e Clara, e Amores de rua, Praia: Spleen Edições, 2003, 122 p., 21 cm.
  • Os loucos poemas de amor e outras estações, Mindelo: Artiletra, 1996, 100 p.
  • Clar(a)idade assombrada, Praia: ICL, 09/1987, 82 p., 21 cm. (coll. Poesia)
  • Emergência da poesia em Amílcar Cabral: 30 poemas, Praia: Grafedito, 1984, 80 p., 21 cm. (coll. Dragoeiro: estudo e documentos); réédition: 02/2018  (web)
  • Cantigas de trabalho: tradições orais de Cabo Verde, Praia: Comissão nacional para as comemorações do 5o aniversário da Independência de Cabo Verde (CNCIN) / Plátano Editora, (1981), 81 p. 20 cm.
  • O cântico do habitante, precedido de Duas gestas, Lisboa: Terceiro mundo, 1977, 41 p. (coll. Terceira poesia, n° 1)
  • Caboverdeamadamente construção meu amor: poemas de luta, Lisboa: Nova Aurora, 1975, 46 p., 19 cm. (coll. Literatura nova, n° 3)

Périodiques

  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXVI, n° 141-142 (12/2016 - 01/2017):
  1. "Antes do Apocalipse", p. 3
  2. "Serenal", p. 3
  • "Tiresias: Ansioma – Édipo e a criança de borco na praia – Biopoesia", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXV, n° 138-139 (10-11/2016), p. 3
  • "Poema para o próximo milénio", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXIV, n° 132-133 (11-12/2015), p. 26
  • "Na morte do poeta paladino de Pão, voz e substancia: opus 33 em sol maior", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXIV, n° 130-131 (07-08/2015), p. 13
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXIII (sic), n° 126-127 (12/2014):
  1. "Para quando nós acordarmos", p. 3
  2. "Rosa mística", p. 3
  • O.O. / Renato Cardoso, "Relance sobre a música e a poesia no processo cultural e revolucionário cabo-verdiano", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXIV, n° 124-125 (11-12/2014), p. 12-13
  • "Entre a vigília e o son(h)o", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XX, n° 111 (12/2011 - 01/2012), p. 22
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XVIII, n° 89-90 (04-05/2008):
  1. "Duas gerações: 1917 - 1937", p. 3
  2. "Desejo", p. 3
  3. "Os sonhos só voam se", p. 3
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XVI, n° 83 (06/2007):
  1. "Phala", p. 3
  2. "O útero de Gea", p. 3
  • "Praia das ilhas do meio do mundo (extracto do romance inédito As ilhas do meio do mundo", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XVI, n° 81 (12/2006 - 01/2007), p. 7
  • ​"O primeiro natal", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XVI, n° 80 (12/2006), p. 3
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XIII, n° 75 (01/2006):
  1. "Rosa (in)fixa", p. 12
  2. "Signo poético", p. 12 + 17
  3. "Sabedoria de poeta velho", p. 17
  4. "Divisa", p. 17-18
  5. "Estival 1-9", p. 18
  6. "Primaveril", p. 18
  • "Influências e reflexos da literatura oral na poética cabo-verdiana", Cultura: revistra semestral, ano I, n° 2 (07/1998), p. 27-31
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano VI, n° 23 (03-04/1997):
  1. "Dormi contigo nos olhos / Acordei contigo nos lábios (entrevista com Larissa Rodrigues)", p. 2
  2. "Requiem para uma condenada", p. 2
  3. "Pequena história da minha alma", p. 2
  • "Dois depoimentos sobre o artista Jaime de Figueiredo: o pavão de lata", Arquipélago: revista de opinião e cultura, ano V, n° 14 (1990), p. 7-10
  • "O mago e Mestre Baltasar", Voz di povo, ano XIII, n° 813 supl. (1989), p. 4
  • "Influências e reflexos da literatura oral na criação poética cabo-verdiana", Voz di letra (suplemento da Voz di povo), n° 8 (1987), p. 1-8
  • "Diálogo de cultura(s) poética(s)", Voz di povo, ano XI, n° 525 (1986), p. 4
  • "Ainda Bibinha Kabral: apresentação de divisa", Mujer: revista da Organização das mulheres de Cabo Verde, II série, n°12 (1984), p. 14
  • "Finação de Bibinhã, cantadeira de Santiago", Mujer: revista da Organização das mulheres de Cabo Verde, II série, n° 11 (1984), p. 20
  • "Matéria poética e poesia", Mujer: revista da Organização das mulheres de Cabo Verde, II série, n° 10 (1984), p. 18
  • "Poesia oral africana e a emancipação da mulher: Les danses du Cameroun  (Cameroonian Dances, Yaoundé: Direction des Affaires culturelles du Ministères de l'éducation, 1971, 127 p.)", Mujer: revista da Organização das mulheres de Cabo Verde, II série, n° 8 (1984), p. 20
  • "A mais bela voz poética", Mujer: revista da Organização das mulheres de Cabo Verde, II série, n° 7 (1984), p. 20
  • "Carta a uma mulher", Mujer: revista da Organização das mulheres de Cabo Verde, II série, n° 5 (1984), p. 11
  • "Puzia e mujer", Mujer: revista da Organização das mulheres de Cabo Verde, II série, n° 2 (1984), p. 17
  • "Oralidade e escrita em "vinti sintidu letradu na kriolu"", Ponto e vírgula: revista de intercâmbio cultural, n° 6 (1983), p. 37-38
  • "Prelúdio de um Best-Seller  anunciado", Voz di povo, ano VII, n° 360 (1983), p. 8
  • Luis Romano / Manuel Veiga / Djubril Niane / Osvaldo Osório, "Seminário sobre metodologia e técnicas de recolha das tradições orais : um passo importante na aquisição de conhecimentos para a salvaguarda do nosso património cultural", Voz di povo, ano VII, n° 337 (1983), p. 9
  • "Poesia, maravilhoso e realidade impura", Voz di povo, ano VII, n° 336 (1983), p. 3
  • "A espingarda e a hora", Lavra e oficina, n° 9-10 (1979), p. 4
  • "Os loucos poemas de amor", Raízes, ano IV, n° 7-16 (07/1978 - 12/1980), p. 117-118
  • "Capítulo do romance As portas de Rotterdam", Raízes, n° 4 (10-12/1977), p. 68-72
  • "Cronologia e estética na obra de Teobaldo Virgínio", Raízes, ano 1, n° 2 (1977), p. 107-108 
  • "3 historias de amores de rua", Raízes, ano I, n° 1 (01-04/1977), p. 63-66
  • "Conto: O doido da Salamansa", Voz di povo, ano II, n° 64 (1976), p. 9
  • "Carta a uma mulher", Voz di povo  (Praia), n° 17 (11/1975), p. 6
  • "Sob o signo da anti-evasão: nótula de leitura à 100 poemas de Ovídio Martins", Ariópe: caderno de cultura anti-colonial, ano I, n° 3 (1974), p. 1
  • "Cronologia e estética na obra de Teobaldo Virgínio", Ariópe: caderno de cultura anti-colonial, ano I, n° 1 (1974), p. 2
  • Vértice, n° 333 (1971):
  1. "A intacta herança", p. n/a
  2. "Manha inflor", p. n/a
  3. "Solsticio", p. n/a
  4. "Cavalos de silex", p. n/a
  • Seló: paginas dos novissimos  (suplemento Notícias de Cabo Verde, n° 323 (28/08/1962)), n° 2 (1962reprint: ICL, 1990):
  1. "Canto final", p. (1)
  2. "O segredo", p. (2)
  3. "Buzinaram-me o corpo todo", p. (2)
  • Seló: paginas dos novissimos  (suplemento Notícias de Cabo Verde, n° 321 (25/05/1962)), n° 1 (1962; reprint: ICL, 1990):
  1. "Reflexões", p. (1)
  2.  "Holanda", p. (2)

Recueils collectifs - Anthologies - Autres

  • Erica Antunes Pereira / Maria de Fátima Fernandes / Simone Caputo Gomes (ed.), Cabo Verde, 100 poemas escolhidos, Praia: Ed. Pedro Cardoso, 2016:
  1. "sans titre ("andei a vida toda a enganar-me")", p. 97
  2. "Rosa (in) fixa", p. 98-99
  3. "Teu nome e as estações", p. 100
  • Ricardo Riso (ed.), "Cabo Verde: antologia de poesia contemporânea", Revista Africa e , Afrícanidades, ano IV, n° 13 (05/2011):
  1. "Signo poético", p. 115
  2. "Jardineiro aguerrido é o meu nome", p. 116
  3. "O pássaro na retina", p. 117
  4. "Aos meus filhos", p. 118
  5. "Construí minha vida", p. 119
  6. "A uma menina da minha infância", p. 120
  7. "O equilibrista", p. 121
  8. "Gnose", p. 122
  9. "Holanda", p. 123
  • Francisco Fontes (ed.), Destino de Bai: antologia de poesia inédita cabo-verdiana, Coimbra: Saúde em português, 06/2008:
  1. "O lugar da loucura", p. 253
  2. "Lembrança n° 4", p. 254
  3. "I", p. 255
  4. "II", p. 256
  5. "Arco reteso", p. 257
  6. "Naufrágio", p. 258
  • José Luis Tavares (ed.), "6 poetas vivos de Cabo Verde", Confraria. Arte e literatura, n° 18 (01-02/2008), en ligne (non paginé):
  1. "A aventura toda"
  2. "Aos quarenta e três"
  3. "Horoscopografia"
  • "Prefácio", in Maria Adriana Sousa Carvalho (ed.), O objecto e a escrita, Praia: IBNL, 2004, p. n/a
  • Roberto Francavilla / Maria R. Turano (ed.), Isole di poesia: antologia di poeti capoverdiani, Lecce: Argo, 04/1999:
  1. "Olanda", p. 95-96
  2. "Solstizio", p. 96-97
  3. "Viaggi", p. 97-98
  • "Uma literatura nascente: a poesia anterior a Claridade / Une littérature naissante: la poésie antérieure à Claridade", in Manuel Veiga, Cabo Verde: insularidade e literatura / Insularité et littérature aux îles du Cap Vert, Paris: Editions Karthala, 1998, 109-113 (PT) / p. 113-117 (FR)
  • (FR) "Hollande", Poésie 94, n° 52 (04/1994), p. 99-100
  • "Prefas", in T.V. da Silva, Kumunhon d'Áfrika: onti oxi manhan, Praia: ICL, 1986, p. 9
  • Textos africanos de expressão portuguesa, Luanda: Ministério da Educação, [198-]:
  1. "A espingarda e a hora", p. 127
  2. "Apenas um mundo", p. 128
  • Mário de Andrade (ed.), Antologia temática da poesia africana: vol. II: O canto armado, Lisboa: Sá da Costa, 1979:
  1. "A espingarda e a hora", p. 157
  2. "Vem independência flor", p. 158-159 
  • Jogos florais 12 de setembro, Praia: ICLD, 1976:
  1. "Re-cordai", p. 25-30
  2. "Tchabéta", p. 31-33
  • Manuel Fereira (ed.), No reino de Caliban: antologia panorãmica da poesia africana de expressão portuguesa  (vol. I: Cabo Verde / Guinée-Bissau), Lisboa: Seara Nova, 1975 (3a ed. 1988):
  1. "Holanda", p. 236-237; 1988, p. 230-231
  2. "A intacta herança", p. 237-238; 1988, p. 231-232
  3. "Nome de pão", 238; 1988, p. 232
  4. "Manhã inflor", p. 239; 1988, p. 233
  5. "Solsticio", 239-240; 1988, p. 233-234
  6. "Cavalos de silex", p. 240-241; 1988, p. 234-235
Oeuvres d'un homonyme (Colombie: textes en espagnol et sur le cinéma)
  • Osorio Mejái, alias Oswaldo Osorio, Realidad y cine colombiano, 1990-2009, Medelin (Colombia): Editorial Universidad de Antioquia, 2013,  134 p., 18 cm.
  • Comunicacíon, cine colombiano y ciudad, Medelin: Universidad Pontifica Bolivariana, 2005, 126 p., 20 cm.
  • "Entrevista con Fernando Solanas: el esfuerzo épico y heróico de querer ir para adelante", Kinetoscopio, vol. 10, n° 50 (04/1999), p. 38-41

haut

Etudes critiques


  • Sofia Vera-Cruz, "Academia cabo-verdiana de letras homenageia Oswaldo Osório", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXV, n° 140 (12/2016), p. 23
  • "Oswaldo Osório e o romance As ilhas do meio do mundo: entrevista", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXV, n° 138-139 (10-11/2016), p. 22
  • s.n., "Tiresias  é o novo livro de poemas de Oswaldo Osório", A nação, 22/07/2018, en ligne  (web)
  • António Monteiro, "Poeta, romancista e ensaista: entrevista a Oswaldo Osório", soca.cv, 2016, en ligne  (web)
  • "Esquina do tempo: Oswaldo Osório, caboverdiamadamente construtor da palavra", Expreso das ilhas, n° 764 (20/07/2016), p. n/a  (web)
  • Corsino Fortes, "Os olhos da ilha que o arquipélago amou (segundo a Paixão na poética de Oswaldo Osório)", Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XXIV, n° 130-131 (07-08/2015), p. 13
  • Ricardo Silva Ramos de Souza, "Oswaldo Osório - Clar(a)idade assombrada", A naçao, n° n/a (30/09/2011), p. 11
  • Ricardo Silva Ramos de Souza, "Oswaldo Osório - A sexagésima sétima curvatura", A nação, n° 139 (29/04/2010), p. 16  (web)
  • Artiletra: JORE / Jornal revista de educação, ciência e cultura, ano XIII, n° 75 (01/2006):
  1. Arnaldo França, "Os loucos poemas de amor e outras estações inacabadas de Oswaldo Osório", p. 10 + 19
  2. Larissa Rodrigues, "Entrevista com Oswaldo Osório: ela ao morrer me desejava muitos anos de vida", p. 11-12 + 17-18
  3. Francisco Fragoso, "Crónica de Lisboa: Assomada nocturna: uma leitura / estudo (cont. de número anterior)", p. 25-26
  • João Paulo Guerra, "A clara idade assombrada da poesia de Cabo Verde: entrevista a Oswaldo Osório", especiedemocracia.blogspot.com, 09/01/1991, en ligne (web)
  • Clar(a)idade assombrada de Oswaldo Osório: um ângulo de abordagem por Ondina, Praia: Movimento pró-cultura, 1988, pag. var.
  • Alvaro Salema, "Caboverdeamadamente construção meu amor  e O cântico do habitante  de Osvaldo Osório", África: literatura, arte e cultura, n° 3 (1979), p. 350-351
  • Arnaldo França, "Poesia: Caboverdeamadamente construção meu amor, poemas de luta de Oswaldo Osório", Raízes, ano II, n° 5-6 (01-06/1978), p. 149-152
  • Arménio Vieira, "A proposito de Gervásio  de Oswaldo Osório", Raízes, ano I, n° 2 (1977), p. 109-110

Caboverdiamadamente

(1975)

Cantigas...

(1981)

Clar(a)idade...

(1987)

Nimores...

(2003)

A sexagésima sétima...

(2007)

As ilhas...

(2016)

Emergência...

(2018)