Onésimo SILVEIRA
né en 1935

Biographie

Onesimo Silveira est né en 1935 à Mindelo.
Dans sa jeunesse, il fréquente le lycée dont il n'achève cependant pas le cursus.
A la suite de quoi il par pour São Tomé et Príncipe où il travaille au service de météorologie de 1956 à 1959. Il y produit également des programmes capverdiens à la radio.
Puis il devient foctionnaire au Portugal quelques années, avant de revenir au Cap Vert où il exerce la fonction de procureur de justice.
Membre éminent du PAICV, il s'exile dans divers pays: France, Chine ou Suède, où il suit un cursus en Sciences sociales à Uppsala et publie plusieurs ouvrages.
De retour au Cap Vert, il devient un homme politique dynamique et constestataire.
A noter qu'il est correspondant étranger de l'Académie des sciences de Lisbonne.

haut

Oeuvres littéraires


La production littéraire d'Onésimo Silveira est loin d'être anodine.
Non seulement il publie des ouvrages de poésie et de fiction, et des essais, mais il collabore également à de nombreux périodiques tels que Claridade, Mensagem (CEI), Cabo Verde, Boletim do Liceu Gil Eanes, Revista agrícola, A semana, Porto Grande, Direito e cidadania, Novo jornal Cabo Verde, Montanha...

haut

HORA GRANDE
 1
 O mar sairá
Das nossas ilhas
Das nossas ruas
Das nossas casas
Das nossas almas...
 
0 mar irá para o mar
E limpos finalmente do lodo das algas
E libertos do sal do nosso sorriso de enteados
Seremos frutos de nós mesmos
Nascendo da barriga negra da terra...
 
2
 Os náufragos
Do lago da nossa quietação
Erguerão os seus braços de todas as cores
E as suas mãos se fartarão
Da luz de um poente maduro!
 
0 negreiro estará perdido na légua do tempo
Porque a alma das nossas vozes
Não morrerá no fundo dos porões...
 
A fome não se alimentará da fome
E voaremos nas asas do Sol
Com o destino na palma da mão!
 
3
 Nas feridas do seu parto
As raízes do nosso umbigo beberão a seiva
E no ventre da "mamã-terra"
 
Germinarão as sementes das nossas certezas
E nos embriagaremos da carne dos seus frutos...
 
As crianças nascerão sem metas nos olhos
E as suas mãos sujar-se-ão
Do mel do nosso olhar...
 
As crianças serão crianças!
Negras e loiras e brancas
Serão pétalas da mesma flor...
 
Hora grande, 1962

haut

AS ÁGUAS
 
A chuva regressou pela boca da noite
Da sua grande caminhada
Qual virgem prostituída
Lançou-se desesperada
Nos braços famintos
Das árvores ressequidas!
 
  (Nos braços famintos das árvores
Que eram os braços famintos dos homens...)   
 
Derramou-se sobre as chagas da terra
E pingou das frestas
Do chapéu roto dos desalmados casebres das ilhas
E escorreu do dorso descarnado dos montes!   
 
Desceu pela noite a serenar
A louca, a vagabunda, a pérfida estrela do céu
Até que ao olhar brando e calmo da manhã
Num aceno farto de promessas
Ressurgiu a terra sarada
Ressumando a fartura e a vida!  
Nos braços das árvores...
Nos braços dos homens...   

Hora grande, 1962

Bibliographie


Oeuvres

  • Poemas do tempo de trevas:  Saga (poesia inédita e dispersa), Hora grande (reedição), Praia: IBNL, 2008, 138 p., 21 cm. (coll. Artes e letras)
  • A democracia em Cabo Verde, Lisboa: Edições Colibri, 2005, 257 p., 23 cm.
  • África ao sul do Sahara: sistemas de partidos e ideologias de socialismo, Lisboa: Associação académica África Debate, 2004, 466 p., 24 cm.
  • Cabo Verde: uma experiência política nos trópicos, Lisboa: Centro interdisciplinar de estudos económicos, 1996, n/a p.
  • A saga das As-Secas e das Graças de Nossenhor, Mem Martins (Portugal): Publicações Europa-América, 1991, 217 p., 21 cm.  (coll. Século XX, n° 335)
  • A tortura em nome do partido único: do PAICV e sua polícia política, Mindelo: Terra Nova / Ponto e vírgula, 1991, 185 p.
  • Africa South of the Sahara. Party Systems and Ideologies of Socialism, Stockholm: Rabén and Sjögren, 1976, 217 p., 22 cm. (coll. Skrifter utgivna av Statsvetenskapliga föreningen i Uppsala, n° 71)
  • Conscienlização na literatura caboverdiana, Lisboa: Casa dos estudantes do Império, 1963, 30 p., 20 cm.; reprint: Lisboa: União das Cidades capitais de língua portuguesa (UCCLA), 2015  (web)
  • Hora grande: poesia cabo-verdiana, Lisboa: Publicações Bailundo, 1962, 45 p., 20 cm.  (coll. Poetas e prosadores publicados em Angola, n° 1)
  • Toda a gente fala: sim senhor, Sá da Bandeira (Angola): Imbondeiro publicações, 1960, 35 p., 17 cm.

Périodiques

  • Onésimo Silveira, "A nação cabo-verdiana e os desafios da globalização", Áfricana, n° 26-27 (2003), p. 7-12
  • "Um golpe de estado constitucional, como defende a democracia", A semana, ano VIII, n° 465 (2000), supl. p. 6-7
  • "Acesso a legitimidade do poder", A semana, ano VIII, n° 463 (2000), p. 8-9
  • "Virtualidades de uma crise real", A semana, ano VIII, n° 430 (1999), p. 8
  • "Comemoração do 50o aniversário da Declaração universal do direitos do homem", Direito e cidadania, ano II, n° 6 (1999), p. 167-179
  • "Cabo Verde: do Partido-Estado ao Partido do Estado", Direito e cidadania, ano I, n° 3 (1998), p. 151-159
  • "Se o diabo existe em política ele não só do lado do PAICV", A semana, ano VII, n° 319 (1997), p. 6
  • "A luta pela Fábrica de tabaco continua", A semana, ano VI, n° 278 (1996), p. 4
  • Porto Grande: publicação da Câmara municipal de São Vicente, n° 9 (1996):
  1. "Alocução do Presidente Doutor Onésimo Silveira", p. 4-5
  2. "Governo faz política de opressõ cultural com São Vicente", p. 9
  • Porto Grande: publicação da Câmara municipal de São Vicente, n° 8 (1996):
  1. "Não a injúria e à humilhação", p. 2-3
  2. "A renúncia seria uma gota de água...", p. 10
  • "Alianças democráticas, solução para Cabo Verde", A semana, ano III, n° 146 (1994), p. 2
  • "Privatizações: análises de alguns constrangimentos", Porto Grande: publicação da Câmara municipal de São Vicente, n° 3 (1993), p. 3-4
  • "Privatizações: análises de alguns constrangimentos", Notícias, ano VI, n° 76 (1993), p. 15-16
  • "A Cãmara municipal de São Vicente e a democracia", Porto Grande: publicação da Câmara municipal de São Vicente, n° 1 (1993), p. 2
  • "Estratégia justificativa-se durante a luta", A semana, ano II, n° 88 (1993), supl. p. 3
  • "Momento ímpar na história de Cabo Verde", Novo jornal Cabo Verde, ano I, n° 29 (1993), supl. p. 4
  • "Mais do que festa popular", A semana, ano II, n° 68 (1992), supl. p. III
  • "Fajã de Janela: a nobreza e a liberdade", Montanha: revista de informação regional, n° 1 (1991), p. 37
  • "Superstição", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano XIII, n° 152 (05/1962), p. 8-12
  • "Toda a gente fala: sim senhor", Revista agrícola, ano I, n° 9 (06/1959), p. 17-20
  • "Noite", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano X, n° 117 (06/1959), p. 34-35
  • "Carta para mamã", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano IX, n° 115 (04/1959), p. 27
  • "Destino de Bia de Rosa", Cabo Verde: boletim de propaganda e informação, ano IX, n° 108 (09/1958), p. 25-29
  • Boletim dos alunos do Liceu Gil Eanes, n° 1 (03/1959):
  1. "Praia de bote", p. 6
  2. "Frustração", p. 6 
  • "Saga", Claridade: revista de arte e letras, n° 8 (05/1958), p. 70

Recueils collectifs - Anthologies - Autres

  • "Apresentação", in José Pedro Oliveira, Galopes da vida: poesia, s.l.: Ed. do autor, 2016, p. 5-9
  • Erica Antunes Pereira / Maria de Fátima Fernandes / Simone Caputo Gomes (ed.), Cabo Verde, 100 poemas escolhidos, Praia: Ed. Pedro Cardoso, 2016:
  1. "As águas", p. 90
  2. "Manhe", p. 91
  3. "Quadro", p. 92
  • "n/a", in Fátima Moura Roque (ed.), África, a NEPAD e o futuro, Luanda: Texto editores, 2007, p. n/a
  • José Vicente Lopes, A explicação do mundo, Praia: Spleen, 2004:
  1. "Entrevista", p. 172-182
  2. "Cabo Verde, nação rara em África", p. 183-187
  • "Prefacio", in António Manuel Oliveira Rodrigues, Cabo Verde, terra d'sodad, Torres Novas (Portugal): edição do autor, 2004, p. n/a
  • "Introdução", in Yara Nidira Vasconcelos dos Santos, Cabo Verde: tradição e sabores, Alpiarça (Portugal): Garrido Editores, 2003, p. n/a
  • "Prefacio", in Isabel Lopes Ferreira, Transições políticas em África: mal-estar no jornalismo caboverdeano: prestação de contas do Governo aos cidadãos através dos media (1991-1998), Lisboa: Associaçõ académica África Debate, 2002, p. n/a
  • (IT) Roberto Francavilla / Maria R. Turano (ed.), Isole di poesia: antologia di poeti capoverdiani, Lecce: Argo, 04/1999:
  1. "Una poesia diversa" (Uma poesia diferente), p. 91-92
  2. "Ora grande" (Hora grande), p. 92-93
  • Carmen Lúcia Tindó Ribeiro Secco (ed.), Antologia do mar na poesia africana de língua portuguesa do século XX, vol. II: Cap Vert, Rio de Janeiro: UFRJ, 1999:
  1. "Um poema diferente", p. 73-74
  2. "Quadro", p. 74
  3. "Hora grande", p. 75-76 
  • "Hora grande", in Salvato Trigo (ed.), Matrilíngua: antologia de autores de língua portuguesa, vol. II, Viana do Castelo: Câmara municipal de Viana do Castelo, 1997, p. 228-229
  • (GB) "Lema / Lemma", in Don Burness (ed.), A Horse of White Clouds. Poems from lusophone Africa, Ohio: Ohio University Press, 1989, p. 118-119
  • Lúcia Cechin (ed.), Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe: poesia e conto, Porto Alegre (Brasil): UFRGS, 1986:
  1. "Poema", p. 61
  2. "Quadro", p. 62
  3. "Tétéia", p. 63
  4. "Lema", p. 64
  • "Lema", in Textos africanos de expressão portuguesa, Luanda: Ministério da Educação, [198-], p. 128
  • Mário de Andrade (ed.), Antologia temática da poesia africana  (vol. I: Na noite grávida dos punhais), Lisboa: Sá da Costa, 1975:
  1. "Um poema diferente", p. 56
  2. "Poema", p. 202
  3. "Ausência", p. 203
  4. "Regresso", p. 236-237
  • ​Manuel Fereira (ed.), No reino de Caliban: antologia panorãmica da poesia africana de expressão portuguesa  (vol. I: Cabo Verde / Guinée-Bissau), Lisboa: Seara Nova, 1975 (3e ed. 1988):
  1. "Poema", p. 188; 1988, p. 182
  2. "Rainha", p. 188-189; 1988, p. 182-183
  3. "Quadro", p. 189-190; 1988, p. 183-184
  4. "As Águas", p. 190; 1988, p. 184
  5. "Recenção", p. 191; 1988, p. 185
  6. "Lema", p. 191; 1988, p. 185
  7. "Têtêia", p. 192; 1988, p. 186
  8. "Hora grande", p. 193-194; 1988, p. 187-188
  • "Um poema diferente", in Serafim Ferreira (org.), Resistência africana (antologia poética), Lisboa: Edição di Abril, 1975, p. 107
  • Francisco Fragoso, Renunciando Pasárgada, Korbeek (Belgique): edição do autor, 1974:
  1. "Nha terra", p. 53
  2. "Um poema diferente", p. 54
  3. "Hora grande",p. 55-56
  • (FR) "Un poème différent", in Mario de Andrade (ed.), La poésie africaine d'expression portugaise, Honfleur: ed. Pierre Jean Oswald, 1969, p. 58-59
  • "O feitor Loureiro", in Mário de Andrade (ed.), Literatura afrícana de expressão portuguesa, vol. 2: prosa, Alger (Algérie): n/a, 1968 (reprint: Lendeln: Kraus Reprint, 1970), p. 152-163
  • Mário de Andrade (ed.), Literatura afrícana de expressão portuguesa, vol. 1: poesia, Alger (Algérie): n/a, 1967 (reprint: Lendeln: Kraus Reprint, 1970):
  1. "Um poema diferente", p. 44-45
  2. "Poema", p. 213
  3. "Ausencia", p. 214
  4. "Regresso", p. 255-256
  • "Os domingos pareciam agora mais longos que os restantes dias da semana juntos", in Luís Forjaz Trigueiros (ed.), Cabo Verde, Guiné, S. Tomé e Príncipe, Macau e Timor: o Ultramar português, Lisboa: Livraria Bertrand, 1963, p. 83-86
  • Jaime de Figueiredo (ed.), Modernos poetas cabo-verdianos: antologia, Praia: Edições Henriquinas Achamento de Cabo Verde, 1961:
  1. "Praia de bote: final", p. 175
  2. "Carta para mamã",p. 176-177
  3. "Mantenha", p. 178-179

haut

Etudes critiques


  • anonyme, "O que disse Onésimo Silveira", Expresso das ilhas, n° 741 (09/02/2016), p. 4
  • José Vicente Lopes, Onésimo Silveira: uma vida, um mar de histórias, Praia: Spleen edições, 2016, 419 p.
  • Adelino Torres, "Elogio do escritor caboverdiano Onésimo Silveira", Revista angolana de sociologia, n° 10 (2012), p. 183-192  (web)
  • Ricardo Silva Ramos de Souza, "Onésimo Silveira - Poesia como testemunha do seu tempo", A nação, n° 130 (25/02/2010), p. 9
  • Constânça de Pina, "Onésimo Silveira desmente Carlos Veiga", A semana, ano VIII, n° 393 (1999), p. 9
  • "Onésimo alerta para o risco do exclusivismo político", A semana, ano VIII, n° 392 (1999), p. 2-3
  • s.n., "Xadrez difícil para Onésimo Silveira", Horizonte, ano I, n° 42 (1999), p. 3
  • s.n., "Onésimo Silveira e PAICV reagem a Veiga", A semana, ano VIII, n° 348 (1998), p. 3
  • A semana, ano VI, n° 286 (1997):
  1. José Vicente Lopes, "Onésimo Silveira: alerta para derrapagem da democracia", p. 3
  2. José Vicente Lopes, "Onésimo Silveira: o Governo dispõe de muito poder e pouca autoridade", p. 3 
  • José Vicente Lopes, "Onésimo Silveira: contra a hegemonia do MPD, resistir até o fim", A semana, ano VI, n° 270 (1996), p. 4
  • s.n., "Onésimo Silveira contra política cultural do Governo", Novo jornal Cabo Verde, ano IV, n° 397 (1996), p. 4
  • Abílio Tolentino, "Onésimo Silveira empossado", Novo jornal Cabo Verde, ano III, n° 357 (1996), p. 7
  • Alexandre Semedo, "Onésimo substitui Silveira", Novo jornal Cabo Verde, ano III, n° 259 (1995), p. 4
  • Alírio Dias de Pina, "Onésimo Silveira: São Vicente não vai cair, nem vai-se ajoelhar perante ninguém", A semana, ano V, n° 244 (1996), p. 6
  • Didier Kounkou Lareis, "A minha leitura de Onésimo Silveira", A semana, ano V, n° 227 (1995), p. 13
  • José Leite, "A cassação de mandatos por razões ideológicas não enobrece a democracia cabo-verdiana. Onésimo Silveira aconselha o MPD a desistir enquanto é tempo", Correio quinze, ano I, n° 13 (1994), p. 12-14
  • s.n., "Onésimo Silveira ameaça demitir-se", Novo jornal Cabo Verde, ano II, n° 218 (1994), p. 16
  • "Onésimo Silveira não merecia tamanha indignidade", A semana, ano IV, n° 183 (1994), p. 6
  • "Onésimo Silveira diz de Carlos Veiga: administrator sem sentido de Estado", A semana, ano III, n° 136 (1994), p. 2
  • António Jorge Delgado, "Onésimo Silveira não passa de uma figura folclórica", Novo jornal Cabo Verde, ano II, n° 115 / 4 (1994), p. 5
  • José Leite, "Onésimo Silveira: nacionalização seria caminhar para trás", Novo jornal Cabo Verde, ano I, n° 51 (1993), p. 8-9
  • Lúcia Dias, "Conselho de Ministros com Onésimo Silveira: Primeiro Ministro contacta populações", Novo jornal Cabo Verde, ano I, n° 46 (1993), p. 24
  • Eduíno Santos, "Entrevista com Onésimo Silveira", Notícias, ano VI, n° 70 (1993), p. II-III
  • Filomena Alves, "Onésimo Silveira: um presidente incómodo?", A semana, ano II, n° 88 (1993), p. 7
  • José Vicente Lopes, "Onésimo Silveira à procura de espaço democrático", A semana na África, n° 70 (01/1993), p. 8
  • Manuel Delgado, "Onésimo Silveira lança 3a força", A semana na África, n° 69 (03/01/1993), p. 11
  • Joaquim do Rosário, "Onésimo Silveira: o homem e a sua cidade", NovÁfrica, n° 6-7 (08-09/1992), p. 66-69
  • Cadman Atta Mills, "Reviewed Work: Africa South of the Sahara: Party Systems and the Ideologies of Socialism, Political Science Association by Onesimo SILVEIRA", Africa Development / Afrique et Développement, vol. 1, n° 3 (11/1976), p. 71-78  (web)
  • Rolando Vera Cruz Martins, "Nota introdutória aos poemas de Onésimo Silveira", Boletim dos alunos do Liceu Gil Eanes, n° 1 (03/1959), p. 6

Consciencialização...

(1968)

Africa...

(1976)

A saga...

(1991)

Democracia...

(2005)

Poemas...

(2008)